Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Acusada de racismo, Gloria Coelho se manifesta: “sinto muitíssimo”

Estilista promete dar mais abertura à diversidade em sua empresa, dos cargos de direção aos desfiles

Por João Batista Jr. Atualizado em 8 jun 2020, 20h12 - Publicado em 8 jun 2020, 17h31

Uma das principais estilistas do Brasil, Gloria Coelho enviou um comunicado a VEJA após a veiculação da matéria em que é acusada de racismo. Gloria se colocou contra o mecanismo de cotas para modelos negras em desfiles da São Paulo Fashion Week. Funcionários de agências sabiam que muitas meninas choravam após castings para a Gloria e também Reinaldo Lourenço, sem ex-marido, pois eram desmerecidas na frente de todos.

O comunicado de Gloria Coelho:

“Sinto muitíssimo que qualquer menina tenha se sentido desprivilegiada ou sem acesso às mesmas oportunidades dentro da minha marca e do sistema de moda. Reconheço que por séculos a moda privilegiou padrões de beleza eurocentristas, e que eu ou pessoas da minha equipe no passado possamos ter compactuados com isso, ou sido interpretados dessa forma. Estou aqui me comprometendo a ser melhor, a garantir que minha equipe seja melhor. Está nas nossas mãos desmantelar o racismo sistêmico.

Eu tenho genuína e profunda admiração pela beleza, criatividade e ancestralidade afrodescendentes e indígena. Estou comprometida em ouvir, me educar, educar aos que me rodeiam, e incluir mais criatividade e diversidade em minha marca. Estou ouvindo todas vocês, e quero que tenhamos este canal aberto para fortalecermos essa luta e traçarmos um novo caminho, mais justo e inspirador, para a moda brasileira.

Me comprometo a incluir mais modelos afrodescendente, indígenas nos meus desfiles. Me comprometo a partir de agora.  Eu e minha equipe estamos unindo forças para ampliar nosso casting e garantir que todas as meninas tenham experiências positivas em castings e fittings.  Me comprometo a incluir meninas pretas  em todas as campanhas futuras, e que o Instagram da marca represente igualmente pretas  ,índias  brancas , morenas e orientais.

Estamos também trabalhando para encontrarmos mais candidatos e candidatas afrodescendente para contratações nas áreas criativas, além das outras áreas da empresa. Esse já era um movimento que estávamos fazendo e vamos nos esforçar ainda mais.

Mais uma vez, peço perdão a quem eu magoei”.

Continua após a publicidade
Publicidade