Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
VEJA Gente Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

“A menina de 10 anos voltou a sorrir”, diz médico sobre vítima de estupro

Onda de carinho e o sonho realizado: comer um McLanche Feliz

Por João Batista Jr. Atualizado em 19 ago 2020, 17h18 - Publicado em 19 ago 2020, 17h16

“Ela voltou a sorrir no dia seguinte à cirurgia”. Essa será a lembrança que o médico pernambucano Olímpio Moraes Filho terá da criança de 10 anos que, com autorização da Justiça e a despeito de manifestações de religiosos, conseguiu interromper uma gestação resultado de abuso sexual por parte de seu tio, de 33 anos. Apesar de muita dor e sofrimento, houve também uma onda de amor e carinho.

Sem alarde, o Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros, em Recife, virou um ponto de apoio. A população local e equipe do hospital fizeram inúmeras doações de roupas, sapatos, livros, brinquedos, tablet e aparelho de som para a menina. No dia seguinte à cirurgia, a criança recebeu dezenas de arranjos de flores e caixas de bombom, que lotaram o quarto onde ficou internada. Menos de 24 horas após encerrar seu calvário em busca de Justiça para reparar um crime do qual foi vítima, ela voltou a sorrir.

ASSINE VEJA

A encruzilhada econômica de Bolsonaro Na edição da semana: os riscos da estratégia de gastar muito para impulsionar a economia. E mais: pesquisa exclusiva revela que o brasileiro é, sim, racista
Clique e Assine

A criança e sua avó retornaram nesta quarta, 19, para o Espírito Santo. Elas voaram em um jato fretado, sob responsabilidade do governo capixaba. No caminho entre o hospital e o aeroporto, a garota pediu ao motorista para realizar seu sonho. Quis parar em uma lanchonete do McDonald’s para comprar um Mc Lanche Feliz. “Esse era o sonho da vida daquela menina de 10 anos, que por um crime horrível passou por toda essa tortura psicológica comer um lanche do McDonald’s”, diz o médico.

  • Publicidade