Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Nova Temporada Por Fernanda Furquim Este é um espaço dedicado às séries e minisséries produzidas para a televisão. Traz informações, comentários e curiosidades sobre produções de todas as épocas.

Nova Zelândia estreia ‘War News’, minissérie com narrativa jornalística

O canal Prime da Nova Zelândia estreia esta noite, dia 22 de junho, War News. Trata-se de um drama de época produzido para marcar o centenário da 1ª Guerra Mundial na Nova Zelândia. Escrita por Gary Scott, Dave Gibson e David Brechin-Smith, a minissérie tem cinco episódios produzidos. A história acompanha os trabalhos de jornalistas que […]

Por Fernanda Furquim Atualizado em 1 dez 2016, 16h15 - Publicado em 22 jun 2014, 01h28
Mark

Mark Mitchinson como Ray Harkness

O canal Prime da Nova Zelândia estreia esta noite, dia 22 de junho, War News. Trata-se de um drama de época produzido para marcar o centenário da 1ª Guerra Mundial na Nova Zelândia. Escrita por Gary Scott, Dave Gibson e David Brechin-Smith, a minissérie tem cinco episódios produzidos.

A história acompanha os trabalhos de jornalistas que cobrem o conflito com notícias direto do front. Entre eles, os correspondentes de guerra Jack Crawford (Jason Whyte), Paul Jameson (Richard Dey) e Joe Stevens (Paul Yates). Na Nova Zelândia, Ray Harkness (Mark Mitchinson), o âncora de um telejornal, está no estúdio entrevistando a especialista em guerra Robyn Michaels (Nathalie Boltt), que faz uma análise das estratégias utilizadas pelos militares em campo, bem como a forma como o conflito está afetando a cultura e a sociedade na Nova Zelândia.

No elenco também estão Peter Hambleton, como o Primeiro Ministro da Nova Zelândia William Massey; Jed Brophy, como Jack Allison, pai de dois rapazes que estão nos campos de Gallipoli; Simon Smith, como o General Alexander Godley; Maria Walker, como Te Puea Herangi; Taungaroa Emile, como Maui Pomare; Tim Gordon, como o General Sir Douglas Haig; e Gerald Bryan, como Sir James Allen, entre outros.

sdf

Jason Whyte como Jack Crawford

A minissérie traz uma abordagem diferenciada. Ela segue uma narrativa jornalística, ou seja, os personagens, fazendo uso de câmeras de televisão (que na época não existiam), bem como de câmeras de celulares e Skype, apresentam para o telespectador o conflito como se estivessem participando de um telejornal. É como se a CNN estivesse divulgando boletins direto do front, há cem anos. A série também utiliza imagens em preto e branco, sendo que muitas delas são reencenações provavelmente filmadas no final da década de 1910, com câmeras de cinema. Os roteiros foram supervisionados pelo historiador Damien Fenton.

Continua após a publicidade

Apesar da presença das novas tecnologias na história, elas não serão (todas) vistas pelo público que assistir à minissérie. Ao longo dos episódios, serão apresentadas diversas notícias. No primeiro, será mostrado o desastre da batalha de Gallipoli. O ano é 1915, Crawford e Jameson estão em Gallipoli entrevistando os soldados em sua última noite em campo. Entre eles, o soldado George Allison, cujos pais aguardam seu retorno. Enquanto isso, o General Hamilton encerra uma reunião com os oficiais, na qual dá a ordem para as tropas avançarem. Através de uma ‘câmera escondida’, os jornalistas conseguem gravar imagens da reunião e vazar a informação para o público.

Nos episódios seguintes serão cobertas as batalhas de Somme, Passchendaele, Belle Vue Spur, a guerra no Oriente Médio, a libertação de Le Quesnoy, uma corte marcial e, por fim, o Armistício.

A produção é da Gibson Group Production, com financiamento da Platinum Fund.

_____________

Atenção: entre os dias 16 e 28 de junho estarei em férias. O blog continuará a ser atualizado diariamente, mas de forma mais lenta.

[vimeo 96549190 w=620 h=330]

Continua após a publicidade
Publicidade