Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Morre o roteirista e produtor Harve Bennett

Nome muito conhecido pelos fãs de séries clássicas, o roteirista e produtor Harve Bennett faleceu no dia 4 de março, aos 84 anos de idade. A causa da morte ainda não foi divulgada. A informação foi divulgada pela página oficial de Jornada nas Estrelas, no Twitter. Harve Bennett Fischman nasceu no dia 17 de agosto de […]

Harve Bennett

Foto: StarTrek.com

Nome muito conhecido pelos fãs de séries clássicas, o roteirista e produtor Harve Bennett faleceu no dia 4 de março, aos 84 anos de idade. A causa da morte ainda não foi divulgada. A informação foi divulgada pela página oficial de Jornada nas Estrelas, no Twitter.

Harve Bennett Fischman nasceu no dia 17 de agosto de 1930, em Chicago, Illinois. Filho de um advogado e uma jornalista, Harve iniciou sua carreira artística ainda criança, atuando em programas radiofônicos. Formado em cinema pela Universidade da Califórnia, ele começou a trabalhar como roteirista e produtor na década de 1950, primeiro para a rede CBS, depois para a ABC, e mais tarde para a Universal e Paramount.

Seu primeiro sucesso na TV foi Mod Squad, clássico da TV americana que ele ajudou a desenvolver e a produzir no final da década de 1960. Na história, três jovens delinquentes são recrutados pelo Capitão Adam Greer (Tige Andrews) para formar uma equipe especializada em crimes relacionados a jovens e adolescentes. O grupo era formado por Pete Cochrane (Michael Cole), jovem rico que fora abandonado por sua família de Beverly Hills após roubar um carro; Linc Hayes (Clarence Williams III), que fora preso por participar de manifestações no gueto onde morava; e Julie Barnes (Peggy Lipton, de Twin Peaks), uma jovem presa por vadiagem depois que foi morar nas ruas, fugindo de sua mãe prostituta. Para conseguir a condicional, eles concordam em ajudar a polícia.

A série foi adaptada por Bennett, Aaron Spelling e Danny Thomas das experiências vividas por Bud Ruskin, um policial que atuou nos anos de 1950 como comandante de um esquadrão de jovens agindo sob disfarce. Na década de 1980, Mod Squad serviu de inspiração para a criação de outra produção trabalhando o mesmo tema: Anjos da Lei/21 Jump Street, de Stephen J. Cannell, que ao invés de ter um grupo formado por delinquentes, apresenta uma equipe formada por policiais adultos com aparência de adolescentes.

Bennett com Lee Majors na década de 1970 (Foto: Reprodução).

Bennett com Lee Majors na década de 1970 (Foto: Universal/Arquivo).

Na década de 1970, Bennett voltou a fazer sucesso com a série O Homem de Seis Milhões de Dólares e sua spinoff, A Mulher Biônica. O produtor foi chamado pela ABC para ‘dar um jeito’ na adaptação da obra de Martin Caidin. Com três telefilmes produzidos, O Homem de Seis Milhões de Dólares ainda não tinha conseguido ser transformada em série, visto que o canal não estava satisfeito com o resultado. Bennett foi encarregado de reformular o projeto.

A história contava a vida de Steve Austin (Lee Majors), um astronauta que sofre um acidente e tem partes de seu corpo substituídos por membros biônicos. O sucesso da série gerou a spinoff A Mulher Biônica, criada por Kenneth Johnson e com a primeira temporada produzida por Bennett.

Na década de 1970, ele também produziu as séries O Homem Invisível, com David McCallum (NCIS, O Agente da UNCLE), Gemini Man, com Ben Murphy (Alias Smith & Jones, Loteria), que praticamente trabalhavam o mesmo tema, um homem capaz de se tornar invisível. Ele ainda foi produtor de Operação Resgate/Salvage 1 e das minisséries Pobre Homem Rico/Rich Man, Poor Man, grande sucesso da época que ajudou a estabelecer o formato na TV, e Golda/A Woman Called Golda, com Ingrid Bergman e Leonard Nimoy.

Os últimos trabalhos de Bennett na televisão foram a série Time Trax, sobre um viajante no tempo que precisa capturar fugitivos que voltam ao passado; e a minissérie animada Invasion America, ambas cocriadas e coproduzidas por ele.

Bennett com a tripulação da nave Enterprise na década de 1980. (Foto: Paramount/Arquivo).

Bennett com a tripulação da nave Enterprise na década de 1980. (Foto: Paramount/Arquivo).

No cinema, Bennett foi um dos grandes responsáveis por estabelecer a franquia de Jornada nas Estrelas. Insatisfeita com o primeiro filme lançado em 1979, a Paramount contratou Bennett para moldar o perfil da franquia. Após assistir aos episódios da série, o produtor decidiu resgatar o vilão Khan, novamente interpretado por Ricardo Montalban. Jornada nas Estrelas: a Ira de Kahn foi um enorme sucesso de bilheteria, o que garantiu a presença da série no cinema por mais alguns anos.

Bennett permaneceu com a franquia até o quinto filme, se afastando depois que sua ideia para o sexto filme foi recusada. Por curiosidade, a ideia de Bennett era a de produzir uma história na qual seria apresentada a juventude de Kirk, Spock e McCoy durante seu período na Academia Militar. A história iniciaria no tempo presente, quando Kirk seria chamado para dar uma palestra na Academia. Lá, ele lembraria dos tempos em que frequentou as aulas e conheceu Spock e McCoy. A partir daí, o filme apresentaria uma aventura em flashback, estrelada por atores mais jovens. Bennett desejava contratar Ethan Hawke como Kirk, e John Cusack como Spock.

Como o Almirante Bennett

Como o Almirante Bennett

Embora tenha gostado da ideia, a Paramount recusou o projeto porque desejava continuar produzindo filmes com os atores que tinham estabelecido os personagens, para poder celebrar os 25 anos de produção da série. Bennett tentou resgatar seu projeto na década de 2000, mas ele foi novamente rejeitado porque na época a Paramount estava produzindo a série Enterprise, que serviu como um prelúdio para a franquia. A ideia de Bennett somente foi resgatada recentemente, quando J.J. Abrams foi contratado para reformular a franquia de Jornada nas Estrelas.

Como ator, ele fez uma ponta no quinto filme da série no cinema, interpretando o Almirante Robert Bennett.

O produtor foi casado com Carole Bennett, com quem teve quatro filhos.

A morte de Bennett ocorre menos de uma semana que a de Leonard Nimoy.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s