Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Lembra de ‘Rumo ao Sul’?

Em 1994, a rede CBS exibiu em sua grade de programação o telefilme piloto de Rumo ao Sul/Due South, série canadense coproduzida com os EUA. Criada por Paul Haggis (The Black Donnellys, Crash), a série ganhou a encomenda de sua primeira temporada, estreando na Fall Season do mesmo ano. Rumo ao Sul era uma dramédia policial […]

Paul Gross e David Marciano (Fotos: CTV/Arquivo)

Paul Gross e David Marciano (Fotos: CTV/Arquivo)

Em 1994, a rede CBS exibiu em sua grade de programação o telefilme piloto de Rumo ao Sul/Due South, série canadense coproduzida com os EUA. Criada por Paul Haggis (The Black Donnellys, Crash), a série ganhou a encomenda de sua primeira temporada, estreando na Fall Season do mesmo ano. Rumo ao Sul era uma dramédia policial que começou com a proposta de ser uma produção sobre choque cultural, mas acabou se tornando um divertido estudo de personagens. Seu sucesso no Canadá e na Europa a transformou rapidamente em cult, tornando-a uma das principais porta-vozes da Polícia Montada.

Na história, Benton Fraser (Paul Gross) é um oficial da Real Polícia Montada do Canadá que chega em Chicago à procura do assassino de seu pai, também um Montada. Lá, faz amizade com o policial encarregado das investigações, Ray Vecchio (Ray Marciano), um americano de origem italiana cuja personalidade é o completo oposto da do canadense. Fraser tem sua vida galgada no raciocínio lógico, na obrigação do dever cumprido, na satisfação de colaborar com o bem comum reprimindo seus sentimentos e acreditando que seu dever e a necessidade alheia vêm em primeiro lugar. Ele é o herói ‘das antigas’, um homem educado, que valoriza seu passado e a cultura de seu país, que não mente ou carrega uma arma. Bom, pelo menos nos EUA, onde não tem permissão de portar armas. Tudo isto leva Ray, uma pessoa totalmente emotiva e malandra, a se irritar com seu comportamento exemplar, questionando as razões que levam Fraser a não demonstrar suas emoções e a não dar valor às suas necessidades.

Ao longo da série, vamos tomando conhecimento sobre o passado de Fraser. Robert (Gordon Pinsent) é seu falecido pai. Após a morte da esposa, ele deixou o filho aos cuidados dos avós, bibliotecários em uma cidade do interior do Canadá. Assim, Fraser cresceu mergulhado nos livros, o que o levou a adquirir um vasto conhecimento sobre diversos temas. Ao crescer, decidiu seguir os passos do pai, alistando-se na Polícia Montada. Mas, sem conseguir se acostumar à cidade grande, ele pede transferência para Yukon, uma região montanhosa, isolada e fria. Com a morte de seu pai e a caça ao assassino, Fraser pede transferência para Chicago.

Além de Ray, o melhor amigo de Fraser é o lobo branco Diefenbaker, encontrado quando ainda era um filhote. Um dia, quando Fraser caiu nas águas congeladas, Dief o salvou. Mas a ação comprometeu sua audição. Meio surdo, Dief tem dificuldades de atender as ordens de Fraser. Sempre que contrariado, o lobo desobedece o dono, que lamenta a situação resmungando ‘você deixa um lobo salvar sua vida e ele cobra, cobra, cobra’.

Na leitura do diário do pai, Fraser vai conhecendo melhor aquele homem que foi seu ídolo, mas que é uma pessoa completamente desconhecida para ele. Não por muito tempo, já que Fraser passa a receber a visita do fantasma de seu pai, que tenta criar uma relação afetiva com o filho. As aparições de Robert ocorrem sempre que Fraser se encontra confuso ou em perigo. Apenas ele é capaz de vê-lo e de ouvi-lo. No entanto, seu contato com o pai acaba influenciando Ray, que também vê seu falecido pai (David Calderisi) em dois ou três episódios.

(E-D) Gordon Pinsent, Leslie Nielsen e Paul Gross

(E-D) Gordon Pinsent, Leslie Nielsen e Paul Gross

Vindo de uma família italiana, onde todos falam alto e tentam se fazer entender, Ray, um homem divorciado, vive com a mãe e as irmãs em um bairro dominado pelo gângster Zuko (Jim Bracchitta), a quem tentou prender várias vezes, mas sem sucesso. Uma das irmãs de Ray, Francesca (Ramona Milano), também divorciada, está à caça de um novo marido e elege Fraser, mesmo sabendo que ele não quer nada com ela.

Em Chicago, Fraser trabalha no Consulado Canadense, onde faz diversos serviços, entre eles, o de vigia na porta de entrada do prédio, onde deve permanecer imóvel por horas. A partir da segunda temporada, ele passa a receber ordens de Margaret Thatcher (Camilla Scott), conhecida como a Dama de Gelo (a referência ao nome da Ministra britânica é intencional). Ela é uma mulher que lutou para subir na carreira, mas seu viu obrigada a pedir transferência para Chicago para poder fugir do assédio sexual que vinha sofrendo de seu superior. Ironicamente, ao conhecer Fraser, ela passa a sentir uma forte atração por seu subalterno, embora negue veementemente. No Consulado também trabalha o Montada Renfield Turnbull (Dean McDermott), um sujeito que consegue ser mais ingênuo que Fraser.

Apesar de trabalhar no Consulado, Fraser passa mais tempo na delegacia e, mesmo depois de encontrar o assassino do pai, ele continua morando em Chicago, onde passa a ajudar seu amigo Ray sempre que pode, nos casos que investiga. Para o Tenente Harding Welsh (Beau Starr), a postura de Fraser não faz o menor sentido mas, não querendo complicar sua vida, ele aceita a presença do Montada e de seu lobo sem reclamar.

Na delegacia também trabalha a auxiliar civil Elaine (Catherine Bruhier), que também se sente atraída por Fraser. O elenco de personagens se completa com os detetives Louie (Daniel Kash) e Huey (Tony Craig), que disputavam com Ray os melhores casos para investigar. Quando Louie morre, ele é substituído por Dewey (Tom Melissis) na terceira temporada. Os nomes dos detetives são uma referência aos sobrinhos do pato Donald: Huguinho, Luizinho e Zezinho.

A primeira temporada de Rumo ao Sul não conseguiu conquistar a audiência desejada pela CBS, que cancelou a produção. Decididos a dar continuidade à série, os produtores canadenses conseguiram levantar dinheiro suficiente para produzir mais treze episódios sozinhos, com exibição no Canadá e na Inglaterra garantida. Mas, quando a CBS se viu forçada a cancelar algumas das novas séries que estrearam na sua Fall Season de 1995, sem ter um novo programa pronto para colocar no ar, ela se viu obrigada a bater nas portas da produtora canadense e propor uma nova coprodução de Rumo ao Sul. Assim, a CBS encomendou novos episódios da segunda temporada, que fechou com um total de vinte e quatro episódios.

No entanto, esta foi apenas uma estratégia para tapar buraco de sua grade, até a estreia das novas séries na midseason de 1996. O canal não tinha a menor intenção de renovar Rumo ao Sul para uma terceira temporada, visto que ela continuou não gerando a audiência que a CBS desejava. Assim, com apenas alguns episódios da segunda temporada exibidos, a série foi novamente cancelada pelo canal.

Callum Keith Rennie e Gross

Callum Keith Rennie e Gross

O contínuo sucesso da série no Canadá e em países da Europa levou o canal CTV a buscar apoio financeiro com a BBC, da Inglaterra, com a ProSiebenSat.1, da Alemanha, e com o TF1, da França, que se tornaram coprodutores da terceira e da quarta temporada, com treze episódios cada (sendo que as duas costumam ser exibidas em canais internacionais como uma única temporada de vinte e seis episóios). Mas, ao ser renovada, a série perdeu o intérprete de Ray Vecchio. Insatisfeito com a evolução de seu personagem, não aceitando redução salarial, e tendo estrelado o piloto de uma nova série da CBS (que aguardava definição), Marciano decidiu não renovar seu contrato, colocando-se à disposição da produção para filmar sua saída.

A solução dos produtores foi a de contratar um novo ator que foi introduzido de uma forma diferente. Callum Keith Rennie (Battlestar Galactica) foi escolhido para dar vida ao detetive Stanley Raymond Kowalski. Quando Fraser retorna de suas férias no Canadá, ele encontra outra pessoa no lugar de Ray. Apesar de Fraser estar enxergando um rosto diferente, o sujeito responde pelo nome de Ray Vecchio e todos na delegacia o tratam como se ele fosse Ray. Ao longo de todo o primeiro episódio, Fraser tenta provar que aquele homem não é Ray Vecchio. No final, ele (e o público) toma conhecimento do que realmente aconteceu. O verdadeiro Ray está agora trabalhando como informante, infiltrado na máfia. Para dar cobertura ao colega, Stanley foi chamado para substituí-lo na delegacia. Assim, aos olhos da comunidade, dos colegas, amigos e familiares, Stan é Ray.

Ao longo da temporada, vemos Fraser criar uma relação de amizade com Stan, um sujeito introvertido, que não se importa com a aparência ou com o que as pessoas pensem dele (o exato oposto de Ray). Stan ainda não superou seu divórcio de Stella (Ane Marie Lodder), uma promotora pública que se separou porque não desejava ter filhos. Confuso e sem saber ao certo o que fazer com sua vida, ele aceita a proposta de assumir a identidade de outra pessoa. Os fãs de Um Bonde Chamado Desejo devem ter reparado nos nomes do casal: Stanley e Stella Kowalksi. A escolha dos nomes foi proposital. Toda a série é recheada de referências à cultura popular. Ao longo da série também apareceu a incendiária Greta Garbo e um estelionatário chamado Franco Zeffirelli.

A terceira temporada também introduz o Dr. Mort Gustafson (Jan Rubes), médico legista apaixonado por ópera; e, ao longo da série, Leslie Nielsen fez participação especial como Buck Frobisher, outro Polícia Montada.

A nova fase da série ampliou a presença dos personagens coadjuvantes, o que permitiu que eles crescessem um pouco mais, criando diferentes situações para a trama. Como um todo, embora apresente temas bastante explorados por produções do gênero, Rumo ao Sul se destaca por seu humor irônico, ótimos diálogos, a forma como faz uso de referências, a bela construção de personagens e suas relações, bem como as situações que beiram o nonsense (especialmente nas duas últimas temporadas). O enredo de alguns dos episódios também fazem referências a filmes, como Janela Indiscreta, Pacto Sinistro ou A Princesa e o Plebeu, entre outros.

Rumo ao Sul foi indicada a cinquenta e seis Gemini, o Emmy canadense, tendo ganho um total de vinte e dois. Mas, apesar de todo o sucesso da série em seu país, ela foi cancelada para liberar Gross e Rennie. O primeiro estava cansado de exercer a função de produtor e de protagonista, enquanto Rennie queria seguir com sua carreira.

A série encerrou com um total de 63 episódios produzidos. No final, Marciano retorna interpretando o verdadeiro Ray Vecchio.

No Brasil, a série foi exibida pelo antigo canal TeleUno, em sua versão dublada em espanhol. Quando o grupo Sony adquiriu o canal (transformado em AXN), ela passou a ser dublada em português, pela Dublamix. Entre os dubladores estavam Márcio Seixas (Fraser), Jorge Eduardo (Ray), Marco Antônio (Stan), Carla Pompilho (Francesca), Darcy Pedrosa (Welsh), Miguel Rosemberg (Robert Fraser), Maria Helena Pader (Margaret Thatcher), Miguel Rosemberg e depois José Luis (Turnbull), Márcio Simões (Huey), Sérgio Stern (Louie e depois Dewey), Cristiane Monteiro (Elaine), Nair Amorim (Stella), Orlando Drummond (Dr. Mort), Waldir Santana e Élcio Ramos (Frobisher).

Clique nas fotos para ampliar. Aqui, entrevista com os atores.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Khaoe Fabian Reis Pacheco

    Olá Fernanda. Já tinha ouvido falar dessa série mas jamais imaginava que ela tinha essa aura cult. Fiquei com vontade de assisti-la. Parabenizo também por ter mencionado a dublagem da série, que tinha só feras.

    Curtir

  2. Comentado por:

    marco

    Clássico dos clássicos. A série foi criando histórias com um humor muito sutil e, às vezes, até surreal. Tem episódios memoráveis, aquele em que Fraser e Ray ficam conversando com as aparições dos pais deles dentro do Buick Riviera, aquele em que os dois ficam presos dentro do cofre, e os incríveis três episódios com Melina Kanakaredes fazendo Victoria. A irmã de Ray era bem legal e o personagem de Leslie Nielsen tinha toda uma brincadeira com o próprio Leslie Nielsen que era canadense, e ele também via a aparição do pai de Fraser, e Pinsent é outro ator canadense veterano. Eu acho que as duas primeiras temporadas foram as melhores. Gross conseguiu criar uma química com Rennie como tinha com Marciano, mas, para mim, a terceira temporada não teve tantos episódios interessantes e a quarta perdeu bastante a qualidade. Vale muito assistir e Gross depois fez Slings and Arrows que teve a versão brasileira da O2, Som e Fúria, e depois dirigiu e escreveu o filme Men with Brooms que também tinha Nielsen e depois virou série. Ótima lembrança.

    Curtir