Clique e assine a partir de 9,90/mês
Nova Temporada Por Fernanda Furquim Este é um espaço dedicado às séries e minisséries produzidas para a televisão. Traz informações, comentários e curiosidades sobre produções de todas as épocas.

David Dortort (1916-2010)

O criador das séries “Bonanza” e “Chaparral” faleceu no dia 5 de setembro, aos 93 anos de idade, de causas naturais. Nascido em 23 de outubro de 1916, em Nova Iorque, David era filho de um vendedor de seguros. Aos 17 anos largou os estudos para viajar pelos EUA. Após cinco meses, voltou para casa, […]

Por Fernanda Furquim - Atualizado em 31 jul 2020, 14h19 - Publicado em 7 set 2010, 19h56

O criador das séries “Bonanza” e “Chaparral” faleceu no dia 5 de setembro, aos 93 anos de idade, de causas naturais.

Nascido em 23 de outubro de 1916, em Nova Iorque, David era filho de um vendedor de seguros. Aos 17 anos largou os estudos para viajar pelos EUA. Após cinco meses, voltou para casa, formando-se, em 1938, em Literatura e Filosofia pela New York City College. Apaixonado por mapas, David pensou em seguir uma carreira na área da geografia, mas acabou dedicando-se à profissão de escritor. Enquanto trabalhava como roteirista de programas de rádio, David também escrevia matérias para revistas semanais.

Após finalizar o serviço militar, David escreveu o livro “Burial of the Fruit”, publicado em 1947. A história sobre uma gangue de adolescentes aterrorizando o bairro do Brooklyn foi bem recebida pela crítica. Quando a produtora Hecht-Lancaster, de propriedade do produtor Harold Hetch e do ator Burt Lancaster, comprou os direitos de adaptação do livro em 1949, David foi contratado para escrever o roteiro. No entanto, o filme nunca foi produzido, por ter sido considerado muito violento.

Em 1953, David chegou à televisão, escrevendo roteiros para as séries “Defensor Público”, “Racket Squad” e “Lassie”, além de alguns teleteatros. Em 1957, David escreveu um roteiro para a série “Restless Gun”. Impressionado com a qualidade do trabalho, o ator principal, John Payne, ofereceu-lhe o cargo de produtor da série. Na mesma época, Dortort começou a desenvolver o projeto de uma nova série, batizada de “Bonanza”.

Em 1959, a NBC era a única emissora que se esforçava em fazer a transição da programação televisiva em preto e branco para a colorida. Com isso, encomendou a produção de “Bonanza“, que deveria ser filmada a cores, para atrair o interesse do público e elevar a venda de aparelhos de TV.

Centrada na figura do pai, Ben Cartwright (Lorne Greene), batizado com o nome do pai de David, Benjamin, e de sua relação com seus três filhos, Adam (Pernell Roberts), Hoss (Dan Blocker) e Little John (Michael Landon), “Bonanza” iniciou sua carreira na história da televisão. A primeira temporada não conseguiu conquistar a audiência desejada, perdendo para a concorrente, “Perry Mason”. Com um custo de 25% a mais que as produções da época, a série correu o risco de ser cancelada. A mudança de dia e horário fez com que, a partir de 1961, “Bonanza” começasse a ser descoberta por seu público, ficando no ar por 14 temporadas, sendo cancelada em 1973, pouco depois da morte de Dan Blocker.

“Bonanza” foi um marco na história da televisão, ao apresentar uma das primeiras séries dramáticas focadas na relação familiar. Até então, esse tema era prerrogativa das sitcoms, das  séries infantis (que retratavam a relação de pais e filhos pequenos) ou das novelas (que retratavam a relação familiar adulta). “Bonanza” também rompeu com a abordagem tradicional das séries de faroeste para adultos, que geralmente retratavam as aventuras de pistoleiros, jogadores ou homens da lei.

Mas ao valorizar os laços familiares e o respeito entre pais e filhos, a produção foi atacada pela crítica, que a acusava de negligenciar a realidade. Em plena era do surgimento da contracultura, na qual jovens desafiavam a autoridade dos pais e a educação severa que era passada de geração em geração, a série “Bonanza” descartava os problemas da vida real na relação entre pais e filhos.

Em resposta às críticas, Dortort criou outro faroeste que também se tornou um clássico, embora tenha tido curta duração. “Chaparral” estreou em 1967, apresentando uma relação conflituosa entre pai e filho.  Big John (Leif Erickson) era um homem austero, mais preocupado em manter o rancho Chaparral que uma relação com o filho a quem chamava de Blue, nome que fora de seu cachorro.

Continua após a publicidade

Enquanto Blue tentava conquistar o amor e o respeito do pai, este se preocupava em transformá-lo em um homem a sua imagem e semelhança. Com o tempo, o ator Mark Slade, que na época tinha 31 anos, não convencia mais no papel de adolescente. Segundo Dortort, esse teria sido o motivo pelo qual o personagem foi retirado da série.

Para justificar a saída do filho de John Cannon, que representava uma parte importante na série, Dortort decidiu que Billy Blue assumiria seu próprio destino, deixando o rancho para seguir seus estudos e uma carreira. Em seu lugar, entrou o ator Rudy Ramos, que interpretou um jovem índio. Mas apesar da preocupação em justificar a saída de Blue, a informação não chegou a ser mencionada nos episódios.

A série teve apenas quatro temporadas, rompendo alguns tabus da televisão americana, como o casamento por conveniência ou as relações entre diferentes raças, além de discutir as dificuldades existentes entre as gerações.

“Chaparral” foi a primeira série produzida pela empresa formada por David, a Xanadu Productions, que tinha o objetivo de produzir programas especialmente para o canal NBC. Além de roteirista e produtor, David Dortort também foi presidente do Sindicato dos Roteiristas – WGA, por três mandatos consecutivos. Também foi presidente do Sindicato dos Produtores – PGA. Após afastar-se da TV, David passou a dar aulas de roteiro na UCLA.

Ao longo de sua carreira, David dedicou-se a contratar jovens aspirantes a roteiristas, produtores e atores, dando-lhes a chance de iniciarem suas carreiras. Foi assim que Michael Landon conseguiu o papel de Little John e mais tarde teve a oportunidade de escrever roteiros para a série “Bonanza”, passando pela direção e produção de episódios. Essa experiência lhe deu bagagem para desenvolver e produzir a série “Os Pioneiros/Little House on the Prairie”, sucesso dos anos 70 que seguiu os moldes perpetuados por “Bonanza”. Na década seguinte, Michael produziria “O Homem que Veio do Céu/Highway to Heaven”, outro sucesso de sua carreira.

David casou-se em 1943 com Rose Dortort, com quem teve dois filhos, Wendy e Fred. Rose faleceu aos 92 anos de idade em 2007.

Abaixo, a primeira parte, de um total de sete, de uma entrevista com David Dortort em 2002, para os arquivos do museu da televisão americana.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=tHzZH8ooW-c?wmode=transparent&fs=1&hl=en&modestbranding=1&iv_load_policy=3&showsearch=0&rel=1&theme=dark&feature=channelv&w=425&h=344%5D

Continua após a publicidade
Publicidade