Clique e assine a partir de 9,90/mês
Tela Plana Por Blog Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming

Eliminada, Boca Rosa percebe que nem só com seguidores se ganha um ‘BBB’

Influenciadora sai do reality com imagem manchada, enquanto os participantes anônimos ganham força na competição

Por Eduardo F. Filho - Atualizado em 26 fev 2020, 16h54 - Publicado em 26 fev 2020, 16h28

Bianca Andrade, também conhecida como Boca Rosa, foi a quinta eliminada do Big Brother Brasil 2020, na noite desta terça-feira 25. Para quem assiste ao famigerado reality da Globo, a saída da influenciadora não foi uma surpresa — sua popularidade andava à míngua depois que a moça, dona de um discurso feminista nas redes sociais, se engraçou com os Chernoboys. O grupo de machões, liderados pelo atleta Petrix, foi desmantelado pelo voto popular, que tirou três rapazes da competição. Agora, a degola atinge uma apoiadora feminina dos marmanjos tóxicos.

Se o público não se chocou com a eliminação de Bianca, dentro da vigiada casa a carioca de 25 anos era tida como uma das favoritas ao prêmio de 1,5 milhão de reais por sua, digamos assim, fama prévia: a blogueira soma 9,2 milhões de seguidores no Instagram. O número, porém, é irrisório se comparado aos 126 milhões de votos contabilizados na votação do BBB, dos quais 53,09% foram destinados a Boca Rosa. Felipe Prior (o último dos Chernoboys) recebeu 29,27%, e Flayslane, principal aliada de Bianca, 17,64%.

O feitiço virou contra a feiticeira. O título de influenciadora digital foi, quem diria, o peso que empurrou a garota para fora da casa. Acostumada aos elogios vazios das redes sociais, Bianca, coitadinha, ficou emocionalmente desestabilizada ao descobrir que o público não estava assim tão satisfeito com suas atitudes no BBB — fofoca recebida diretamente de Ivy e Daniel, os participantes que entraram atrasados e cheios de informações lá do mundo real. Na época, a “sister” perdeu mais de 80 000 seguidores — e também pode ter perdido o namorado, o músico Diogo Melim, que apagou as fotos dos dois juntos nas redes sociais.

Bianca, então, ficou mais cautelosa ao agir e ao falar, em um palpável tom de falsidade. Em contrapartida, o último vilão da macholândia, Felipe Prior, percebeu que a melhor tática era assumir os erros do passado. O rapaz pediu perdão às garotas e prometeu se redimir — lição de marketing que Boca Rosa não aprendeu.

Com a ala dos influenciadores abalada, agora é a vez da folia dos anônimos. A arisca Flayslane, a empoderada Marcela e a astuta Gizelly despontam como favoritas, seguidas de longe pelos famosos Rafa Kallimann e Pyong, por exemplo. Ao que tudo indica, nem só com seguidores se ganha um BBB.

Continua após a publicidade
Publicidade