Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Tela Plana Por Blog Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming

Com ‘Sex/Life’, Netflix derruba de vez tabu do nu frontal masculino

Cenas de nudez masculina ainda são evitadas em filmes e séries de TV mas, em sua nova série, a gigante de streaming quer mudar essa percepção

Por Felipe Branco Cruz Atualizado em 14 jul 2021, 18h07 - Publicado em 7 jul 2021, 14h16

Em primeiro lugar entre as dez atrações mais vistas da Netflix nesta semana, a série Sex/Life também ressuscitou um velho tabu ainda não superado no show business: o nu frontal masculino. Inspirado no livro erótico 4 homens em 44 capítulos, da escritora americana BB Easton, a atração acompanha a vida sexual de Billie Connelly (Sarah Shahi). Casada com Cooper (Mike Vogel), ela se envolve em um triângulo amoroso quando seu ex-namorado, Brad Simons (Adam Demons), ressurge em sua vida.

Com um roteiro pobre e previsível, a série é repleta de cenas de sexo, algumas bastante pesadas para uma audiência mais sensível. Mas o que transformou a atração no assunto mais falado da semana foi mesmo um nu frontal no terceiro episódio, em uma cena na qual Cooper segue Brad até a academia e o vê tomando banho. Talvez resida aí a imensa (ops) surpresa da trama. O nu é tão explícito e fora do normal que os fãs se questionaram se aquele certo detalhe era de verdade mesmo ou uma elaborada prótese. Nas redes sociais, viralizaram vídeos de telespectadores reagindo à cena, o que ajudou ainda mais a aumentar o interesse pela atração.

Independentemente do roteiro, a série comprova que a Netflix resolveu botar abaixo de vez o tabu que cerca o nu frontal masculino. Alguns exemplos de filmes do catálogo da Netflix, como Girl (2018), do diretor belga Lukas Dhont, ou Legítimo Rei, (2018) com Chris Pine, causaram bastante polêmica. No primeiro, há um nu frontal em que uma menina transgênero de 15 anos tenta esconder seu órgão sexual enquanto não consegue fazer a cirurgia de readequação sexual. A celeuma ocorreu porque a atriz, realmente, tinha apenas 15 anos. Já no épico Legítimo Rei, outro nu, desta vez do ator Chris Pine, motivou um comentário irritado do ator. “Florence Pugh mostra os seios e o seu corpo e ninguém está falando. É por que isso é esperado dela, enquanto mulher? E por que isso não é esperado de mim?”, disse ele na época.

Os exemplos se multiplicam, inclusive em produções feitas pela Netflix fora dos Estados Unidos. A comédia sueca Love & Anarchy (2020) mostra um nu frontal de um adolescente que, para cumprir uma promessa, tem de pedir carona nu na beira da estrada.

Ainda pode até existir uma controvérsia sobre o nu frontal masculino na televisão e em outros serviços de streaming. Mas não mais na Netflix, sem dúvida.

Continua após a publicidade
Publicidade