Tela Plana Por Blog Críticas e análises sobre o universo da televisão e das plataformas de streaming

5 vezes que ‘A Dona do Pedaço’ subestimou a inteligência do público

Entre altos e baixos, a jornada de Maria da Paz termina nesta sexta-feira, 22

Por Eduardo F. Filho - Atualizado em 22 nov 2019, 17h42 - Publicado em 22 nov 2019, 17h27

A lojinha de bolos da Maria da Paz está em oferta até esgotar o estoque: nesta sexta-feira, 22, a novela A Dona do Pedaço chega ao fim. Entre altos e baixos, o folhetim de Walcyr Carrasco começou no cenário árido do sertão, mostrando a sangrenta disputa entre famílias rivais, até desembocar na história da boleira pop que é passada para trás pela filha e o amante. Depois disso, foram muitas as reviravoltas — boa parte delas um tanto quanto absurdas.  Confira:

 

Jô, evangélica do pau oco?

 

Publicidade

Demorou uma eternidade até Jô, a vilã da novela, vivida por Agatha Moreira, ser finalmente presa pelos (muitos) crimes que cometeu. Ainda assim, sua detenção foi bizarra. Nenhum preso recebeu tantas visitas quanto Jô (ou Josiane, nome que ela detesta) na sala de interrogatório – foi a mãe, o pai, o namorado que quase foi morto por ela, o primo, pelo menos três advogados e a avó – só não foi o cachorro porque ela não tinha um (ainda bem, coitado!). É muita chave para pouca cadeia. Por fim, a personagem se converteu em um culto evangélico dentro da prisão. Para além dos estereótipos do pastor engravatado gritando “aleluias”, a versão Jô cristã é das mais estranhas: com os olhos semicerrados e fala mansa, com palavras ditas len-ta-men-te, mal dá para saber se a moça está em um momento paz e amor espiritual ou se usou algum tipo de droga. Nesta sexta-feira, porém, espera-se que a conversão seja mais uma balela da vilã falsiane.


O bendito documento

Agno (Malvino Salvador) encontra documento que devolve fabrica as mãos de Maria da Paz (Juliana Paes)

Está para nascer personagem mais abilolada que Maria da Paz (Juliana Paes). Em um de seus muitos momentos de ingenuidade, ela passou a fábrica para a filha Josiane, para aplacar um momento de dívidas financeiras — provocado pela própria Jô. No contrato, porém, havia uma cláusula que impedia a vilã de simplesmente expulsar a mãe da empresa. Claro, o tal documento, que estava em uma bendita pasta verde, se perdeu: e Maria da Paz acabou na rua da amargura — e sem nenhuma cópia do papel… que estranho. Mais estranho ainda: o contrato com selo da Justiça e cara de “documento muito importante” passou de mão em mão por todo o elenco da novela. Do pistoleiro, ao núcleo marombado da academia, até as ricas Beatriz (Natália do Vale) e a influencer digital da terceira idade Linda (Rosamaria Murtinho), que enfiaram a pasta em um armário. Meses se passaram e o documento acumulou poeira. Nem Sherlock Holmes era capaz de encontrá-lo. Eis que, na última semana da novela, a pasta surge, repentinamente, e Maria da Paz ganha sua empresa de volta.


Insólita virada de Régis

Publicidade

O playboy começou a novela como um golpista e vilão cruel, capaz de se unir à fútil Jô para roubar a fortuna da mãe dela, Maria da Paz, com quem ele se casa por interesse. Mas Régis (Reynaldo Gianecchini), de repente, virou um coração mole. Arrependeu-se do golpe e já não sabia se queria ficar com Jô, ou com a própria boleira. Entender o caráter do personagem se tornou uma missão impossível. Ele até foi trabalhar numa adega de vinhos – mas teima em dar tropeços na vida, perdendo tudo por suas dívidas com um agiota ou em jogos de azar. Agora, na reta final, uma nova reviravolta: depois de testar tantos perfis, Régis se torna evangélico, “um servo de Deus”, que não quer mais participar do mercado de bebidas alcoólicas. Espera-se, porém, que no derradeiro capítulo desta sexta-feira, tanto ele quanto Jô mostrem que, na verdade, ninguém mudou e que a bandidagem está viva em ambos: o único final que faria sentido para a dupla.

Reality clichê e a facilidade de ficar rico no Brasil… só que não

Maria da Paz (Juliana Paes)

A novela abusou da paciência do público ao colocar todas as noites, por praticamente um mês, um infame reality show culinário com um único objetivo: fazer Maria da Paz milionária de novo. Foi uma reunião de clichês. Uma das integrantes queria prejudicar a boleira; a jurada Vivi Guedes (Paola Oliveira) mais atrapalhava do que ajudava, e a personagem de Juliana Paes era assídua frequentadora da repescagem. Por fim, a novela cruzou todos os limites da meritocracia: depois de perder os bens para a filha, Maria da Paz, vendendo bolos na rua – com a ajuda de um empréstimo – abriu uma nova loja e ganhou muito dinheiro: ao participar do reality, ficou milionária da noite para o dia.


Só o português não percebeu…

Britney (Glamour Garcia) conta para Abel (Pedro Carvalho) que é uma mulher trans.

Publicidade

As preconceituosas piadas sobre a inteligência dos portugueses foram atualizadas com Abel (Pedro Carvalho). O boleiro bombadão da terrinha foi o último a saber que Britney (Glamour Garcia) é transexual. Entre pegadas e ficadas apaixonantes, ele só soube quando a própria, depois de muito tempo, resolveu contar. Apesar de ser um assunto interessante para a novela — e Glamour ser uma revelação —, foi entediante o processo do tal “mistério”: afinal, todos já sabiam. Após a descoberta, Abel rejeitou Britney, mas mudou de ideia: os pombinhos se casaram nesta semana.

Publicidade