Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Sobre Palavras Por Sérgio Rodrigues Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

Júlio César nasceu de cesariana?

A resposta é não, mas a cesariana nasceu de Júlio César. Convém explicar. Tudo indica que o general e político romano Caius Julius Caesar (100 a.C.-44 a.C.) nasceu de parto normal. Como observa o dicionário etimológico do americano Douglas Harper no verbete caesarian, “a mãe de César viveu para ver seus triunfos, e tais operações […]

Por Sérgio Rodrigues Atualizado em 31 jul 2020, 06h03 - Publicado em 11 jun 2013, 17h04

A resposta é não, mas a cesariana nasceu de Júlio César. Convém explicar.

Tudo indica que o general e político romano Caius Julius Caesar (100 a.C.-44 a.C.) nasceu de parto normal. Como observa o dicionário etimológico do americano Douglas Harper no verbete caesarian, “a mãe de César viveu para ver seus triunfos, e tais operações teriam sido fatais para mulheres da antiguidade”.

O fato é que vários autores latinos de prestígio – entre eles Plínio, o Velho – traçaram a etimologia do sobrenome Caesar até o verbo caedere, “cortar, talhar”, sugerindo que um dos antepassados do grande general teria nascido dessa forma. Contestada pela maioria dos filólogos modernos, essa tese tinha como principal adversária a que ligava a palavra a caesaries (cabeleira).

Seja como for, o nome, quando passou a ser usado pelos imperadores romanos que sucederam Júlio César, já não era de família, mas um título honorífico que daria origem ao nome de soberanos em diversas línguas, entre elas o alemão (Kaiser) e o russo (tsar).

A história do útero rasgado no qual teria nascido a palavra César poderia ser apenas mais uma lenda etimológica se não tivesse tanta aceitação, a ponto de dar origem ao substantivo latino caesar, “aquele que foi tirado da mãe por excisão”, e fazer com que, no século XVI, médicos franceses batizassem a cirurgia de césarienne. O adjetivo – mais tarde transformado também em substantivo – era o mesmo usado para qualificar tudo o que fosse relativo aos imperadores romanos. E foi exatamente na suposta relação entre César e a cesura (palavra do português que quer dizer “corte, incisão”) que o batismo da operação se baseou, segundo o Trésor de la Langue Française.

É por isso que se deve ter cuidado com delírios etimológicos. Eles às vezes dão um jeito de interferir na realidade – processo a que se dá o nome de etimologia popular.

Continua após a publicidade

Publicidade