Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Ao vivo’ veio do inglês ‘live’?

“Prezado Sérgio Rodrigues, é correta a expressão ‘ao vivo’, comum nos telejornais? É tradução literal de ‘alive’?” (Argemiro Nascimento Filho)

Sim, a expressão “ao vivo” é perfeitamente correta, para usar o adjetivo escolhido por Argemiro, mas não, não nasceu de uma tradução literal do inglês alive (“vivo”).

Se fosse essa a sua origem, o original seria o inglês live, uma forma reduzida de alive que ganhou nos anos 1930 – segundo a datação do dicionário de Douglas Harper – a seguinte acepção no mundo das artes e espetáculos: “que é encenado na hora por artistas de carne e osso, diante do público, em oposição a algo pré-gravado por qualquer meio”.

Como se vê, live – como “ao vivo” – não se restringe ao vocabulário do rádio e da televisão. Neste, quer dizer aquilo que é transmitido no momento mesmo em que ocorre. Mas também pode significar justamente o que dispensa qualquer mediação tecnológica para chegar ao espectador: no dicionário da Academia das Ciências de Lisboa, uma de suas acepções é “directamente, em presença do público, e não por meios radiofônicos, televisivos…”.

Não consegui encontrar em nenhum dicionário de português uma data de nascimento sequer aproximada para “ao vivo”. Haverá na locução televisiva – que em francês tem tradução bem diferente, en direct – alguma influência do inglês live, como suspeita Argemiro?

Não creio que se possa descartar inteiramente a possibilidade, mas acho improvável. É imemorial o uso do adjetivo “vivo” para conjurar ideias semelhantes: o latim clássico tinha a expressão viva vox (“viva voz”) para se referir a um discurso ouvido diretamente da boca do orador, em vez de lido ou comunicado por terceiros.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Às segundas e quintas-feiras o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Rubia Elaine morato

    Quero muito saber a origem da expressão “levantar a lebre”

    Curtir

  2. Comentado por:

    Walter Mendes

    Prezado Sérgio, eu acredito que haja uma clara ligação entre o português “Ao Vivo” e o inglês “Live”. Obviamente há a diferença na escolha lexical e na história da televisão nos dois países, mas a tevê em Portugal usa “Direto” e “Em Direto” (influenciado pelo francês) no lugar de nosso “Ao Vivo” (influenciado, creio eu, pelo inglês). A propósito, para o que chamamos de “reprise” no Brasil, os portugueses dizem “repetição”.

    Curtir

  3. Comentado por:

    fpenin

    Ao comentar sobre a sua explicação para bode expiatório, falei que o bode escolhido a personificar Azazel é quem acabava pagando o pato .Daí me veio a ideia: qual a origem da expressão “pagando o pato”?

    Curtir