Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prisão após a 2ª instância e o fracasso do deputado lulista

Em 2016, o deputado Wadih Damous (PT) tentou beneficiar políticos condenados – mas não conseguiu

Quase exatamente dois anos atrás, em 1 de março de 2016, o deputado federal Wadih Damous (PT-RJ), próximo a Lula, apresentou o projeto de lei 4577/2016. Trata-se de consagrar, na legislação do país, a impossibilidade de alguém ser preso após julgamento por um colegiado de juízes – ou seja, a segunda instância, como um Tribunal de Justiça Estadual ou o Tribunal Regional Federal da 4ª Região que condenou o ex-presidente. Esse entendimento é, por enquanto, seguido pelo Supremo Tribunal Federal, que ainda não tem previsão para pautar uma mudança nessa regra.

O projeto 4577/2016 foi “apensado” ao projeto 4198/2015 , proposto por Miro Teixeira (Rede-RJ), que vai no sentido contrário à proposta de Damous. Nesse complexo sistema da Câmara dos Deputadoos, dois projetos de lei que tratam do mesmo tema podem ser juntados e, assim, os deputados proponentes terão que lutar dentro das mesmas comissões de análise dos projetos. Ou seja: não é possível que duas propostas contraditórias sejam aprovadas.

Resultado: os deputados federais não tomaram decisão sobre o assunto. Wadih Damous não conseguiu mobilizar seus colegas para que aprovassem um requerimento de urgência para acelerar a votação da proposta. Lula e outros políticos que não ocupam cargos no momento ficaram sem proteção via Legislativo.

E, pelo que vimos hoje no Superior Tribunal de Justiça, quem não tem foro privilegiado também não terá proteção judicial. Vale a prisão após condenação em segunda instância. Tremendo – mas polêmico – avanço institucional.

(Meu livro “Guerra à Corrupção: Lições da Lava Jato”  está disponível aqui)

(Entre em contato pelo meu site pessoalFacebookTwitter e email)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. news da hora

    Carmen , Raquel , e Fux tem a oportunidade de ouro , de fortalecer a democracia Brasileira , promovendo eleições limpas , com candidatos fichas limpas de verdade .

    Curtir

  2. news da hora

    Carmen , Raquel , e Fux , precisam ajudar a prender as raposas ladronas , como Lula , Renan e cias . E seguir o caminho dos juízes de nova plumagem . Cadeia neles !

    Curtir

  3. news da hora

    Esse advogado Pertence , representa o que se tem de mais atrasado na elite política das raposas ladronas .

    Curtir

  4. alfredo lucio saback soares de quadros

    o danoso é um inimigo da justiça e amigo dos bandidos.
    na maioria dos países sérios a prisão é permitida em primeiro grau.
    é um desrespeito aos investigadores, ao mp e aos juízes querer fazer acreditar que um criminoso duplamente condenado tenha ainda a “presunção de inocência”.
    esse instrumento nada mais é do que uma ferramenta para que criminosos poderosos tenham o benefício da prescrição.
    esse fanático advogado vermelho deveria se arrepender das tentativas de danos ao Brasil e propor uma lei, bem clara para que não permita interpretações diversas, em que : A PARTIR DO INÍCIO DO PROCESSO CESSA A POSSIBILIDADE DE PRESCRIÇÃO, DANDO UM PRAZO RAZOÁVEL PARA SUA FINALIZAÇÃO.
    a prescrição só dar-se-á quando o crime, não hediondo, não for descoberto num prazo equivalente ao dobro da pena.

    Curtir