Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Sensacionalista Por Redação Isento de verdade

Manual Sensacionalista para reuniões de família no fim de ano

Elas chegaram e não há mais para onde fugir: para sua ceia de Natal não se tornar uma Quarta-Feira de Cinzas, siga nossas dicas

Por Sensacionalista - Atualizado em 20 dez 2019, 09h46 - Publicado em 20 dez 2019, 06h00

• Coloque “Então É Natal”, da Simone, tocando sem parar para as pessoas reclamarem da música e se esquecerem de falar de política

@luansantana/Instagram

• Se possível, evite todas as palavras iniciadas em “B” e terminadas em “olsonaro”. Também evite aquelas começadas com “L” e terminadas em “uan Santana”. Brincadeira, brincadeira: é para evitar a palavra “Lula”, mesmo

./.

• Ainda sobre a ceia: sob hipótese alguma leve um maço de capim para os parentes que acham Bolsonaro o melhor presidente da história do país

./.

• Se o clima pesar por assuntos políticos, lance uma polêmica rápida à mesa. Por exemplo: saia do armário. Você pode não ser gay, mas pelo menos vai mudar o foco do assunto imediatamente

Publicidade
./.

• Não estranhe a mudança dos parentes. As velhas tias hoje em dia não perguntam mais “Cadê o namorado?”, mas sim “Você ainda é ‘Lula Livre’?”

./.

• Dica: se a ceia demorar a sair, não faça piada perguntando se ela ficou presa em segunda instância nem finja ligar ao Gilmar Mendes para soltá-la

./.

• Sob hipótese alguma coloque no gado do presépio etiquetas com o nome dos parentes que acreditam que “Bolsonaro só fala essas coisas da boca para fora”

./.

• Se toda sua família for de opinião política contrária à sua, falte à ceia e diga que não foi convidado porque o hacker do Moro tirou seu nome do grupo da família

Publicidade
./.

• Não troque o nome da brincadeira “amigo-oculto” por “Queiroz”

./.

• Se o tio da piada do “pavê ou pa comê” gostar de política, faça 40 pavês e vá soltando um a cada 5 minutos para que ele não faça outra coisa senão repetir a famosa piada

./.

• Economize, pois ninguém sabe como será 2020. Em vez de servir carne, opte por pratos mais baratos como foie gras, caviar ou lagosta

./.

• Se tudo o mais falhar e as coisas saírem do controle, peça ao dono da casa que decrete AI-5

Publicidade

FOTOS: AFP; Agência Senado; Instagram: @luansantana; Agência Brasil; Getty Images; Reuters

Publicado em VEJA de 25 de dezembro de 2019, edição nº 2666

Publicidade