Clique e assine a partir de 9,90/mês
Sensacionalista Por Redação Isento de verdade

Bolsonaro ameaça usar cloroquina contra manifestantes pró-democracia

Se é prejudicial, que tenha o uso correto — explicam assessores do Planalto

Por Sensacionalista - Atualizado em 5 Jun 2020, 13h36 - Publicado em 5 Jun 2020, 06h00

O Exército brasileiro ganhou nova missão nesta semana: produzir meio milhão de comprimidos de cloroquina, a droga preferida do presidente da República. Apesar de a Organização Mundial da Saúde e de vários países já terem afirmado que o medicamento não só é ineficaz contra a Covid-19 como pode ser mortal para algumas pessoas, Bolsonaro insiste em seu uso. Dizem que fez até um altar para a cloroquina em sua casa. Mas usar, não usa. O que pouca gente sabe é que o presidente pensa agora em outro objetivo para o medicamento: será usado como bomba contra os manifestantes que começaram a ir às ruas gritando “Fora, Bolsonaro”. Se é prejudicial, que tenha o uso correto — explicam assessores do Planalto.

Para trabalhar na produção, o Exército terá de suspender a pelada da tarde e a pintura de muros. Brasil acima tudo. Cloroquina em cima de todos.

Publicado em VEJA de 10 de junho de 2020, edição nº 2690

Publicidade