Clique e assine a partir de 9,90/mês
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

Sartori (MDB) declara apoio a Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno

Governador do Rio Grande do Sul é filiado ao MDB há 44 anos; partido lutou contra a ditadura militar

Por Paula Sperb - Atualizado em 8 out 2018, 21h50 - Publicado em 8 out 2018, 16h07

O governador gaúcho, José Ivo Sartori (MDB), que tenta a reeleição, declarou na tarde desta segunda-feira, 8, que apoiará o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno da eleição nacional. Seu adversário, Eduardo Leite (PSDB), acenou ainda na noite de domingo o apoio a Bolsonaro.

O presidente do MDB-RS leu uma carta (veja abaixo) em que o partido “recomenda o voto em Jair Bolsonaro” e rejeita corrupção.

“Divergências todos nós temos, mas temos que acreditar no processo democrático. A democracia tem que ser respeitada”, defendeu Sartori, filiado ao MDB há 44 anos.

A carta defende a “honestidade, família, combate à corrupção e à criminalidade, respeito à lei e à ordem”.

O MDB (Movimento Democrático Brasileiro) surgiu em 1966 para abrigar os contrários à ditadura militar. Apenas dois partidos eram permitidos, o MDB (oposição) e a Arena (Aliança Renovadora Arena), que dos apoiadores do regime.

O bipartidarismo surgiu após o os partidos e mandatos serem cassados. Bolsonaro, que chegou a pregar o fechamento do Congresso, costuma defender o período da ditadura e chegou a elogiar a tortura praticada contra civis durante o regime.

Continua após a publicidade
Publicidade