Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prefeito pede a Temer presença do Exército no julgamento de Lula

Nelson Marchezan Jr. (PSDB) escreveu ao presidente solicitando também reforços da Força Nacional, que já atua em Porto Alegre desde fevereiro de 2017

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), escreveu ao presidente Michel Temer (PMDB), na última quarta, pedindo a convocação do Exército e da Força Nacional na cidade para 24 de janeiro, data do julgamento do recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no TRF4. Lula foi condenado em primeira instância no caso do tríplex no Guarujá. A Força Nacional, porém, já atua em Porto Alegre desde fevereiro de 2017 por causa da crise de segurança que afeta o Rio Grande do Sul. A operação foi renovada por mais 180 dias a partir de 1º de janeiro de 2018.

Marchezan justificou o pedido a Temer por causa do “iminente perigo à ordem pública e à integridade dos cidadãos porto-alegrenses”. Marchezan também citou a “ameaça de ocupação de espaços públicos municipais pelos diversos movimentos sociais que manifestaram-se nesse sentido”. Além disso, mencionou postagens “propugnadas” em redes sociais, “inclusive de senadores”, que mencionam “desobediência civil e luta”. O MST anunciou que fará um acampamento na cidade, mas a Justiça proibiu.

Nas redes sociais, o prefeito costuma provocar simpatizantes de Lula e do PT no seu perfil no Facebook com textos de “zoeira” nos chamados “decretos de final de semana”. “Se você pertence a certos partidos vermelhos, está proibido formar quadrilha”, chegou a escrever no período de festas junina.

 

O pedido a Temer também menciona o fato do TRF4 “situar-se no interior de um parque municipal”. “Solicitei ao Presidente @MichelTemer o apoio da Força Nacional e do Exército Brasileiro para atuarem no dia 24. Devido às manifestações de líderes políticos que convocam uma invasão em Porto Alegre, tomei essa medida para proteger o cidadão e o patrimônio público”, escreveu o prefeito nos eu perfil do Twitter, ao divulgar a carta.

Em setembro, depois de um pedido da prefeitura, a Justiça proibiu manifestações contrárias a Marchezan nos eventos em que o prefeito vai aos bairros da cidade. É durante o “Prefeitura nos Bairros” que o prefeito da capital gaúcha, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), costuma dançar a música “Despacito” junto à comunidade, rendendo elogios e críticas nas suas redes sociais. Por sua vez, o sindicato dos funcionários da prefeitura lançou uma paródia, “Marchezito”, criticando ações do prefeito.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. news da hora

    Lula e o PT incentiva os baderneiros destruírem o patrimônio público e privado .

    Curtir

  2. news da hora

    Portanto PF , Forças armadas neles ! Nestes marginais baderneiros .

    Curtir

  3. sinesio gimene

    ja aproveita e poe o lula bandido num paredao e fuzila assim como todos os bandidos aliados dele , um povo comprado por votos

    Curtir

  4. Marcos Binelli

    Não precisa não….um batalhão da TROPA DE CHOQUE DA PM dá conta dos MORTADELAS….

    Curtir

  5. João Batista

    Parabéns prefeito Nelson Marchezan!! Decisão mais que sensata, corretíssima!! Essa esquerdopata (partido esquizofrênico) só utiliza de artimanhas e se faz de vítima o tempo todo quando na verdade é uma séria ameaça à ordem, segurança e ao futuro do País. A presença do Exército, muito pelo contrário, não vai tolher a livre manifestação do cidadão de bem mas vai inibir àqueles que já vão mal intencionados, preparados para incitar à violência e depredação do patrimônio público e privado, além de querer intimidar os nobres julgadores. Quem não deve não teme!!!! Cadeia naqueles baderneiros, incitadores do ódio e da violência!!!

    Curtir

  6. Claudio Stainer

    O Exército do Stédile deve estar bem preparado para interromper o Julgamento. Seria a única e última ação dos que lastraram a roubalheira do Erário. Ainda há muito dinheiro para gastar. O regular anda tropeçando no fuzil e caindo na ponta da baioneta.

    Curtir