Clique e assine a partir de 9,90/mês
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

‘Pergunta se ele abre mão do dele’, diz Haddad sobre 13º de Mourão

'Primeiro, que ele dê o exemplo para depois sugerir isso para o trabalhador que recebe um salário mínimo', disse petista em Porto Alegre

Por Paula Sperb - Atualizado em 27 set 2018, 23h46 - Publicado em 27 set 2018, 20h47

O candidato à Presidência pelo PT, Fernando Haddad, provocou na noite desta quinta-feira (27), em Porto Alegre, o candidato a vice-presidente general Hamilton Mourão a “abrir mão do 13º dele” para “dar exemplo”. A declaração foi feita em comício em frente ao Mercado Público da capital gaúcha. O vice da chapa de Jair Bolsonaro (PSL) se manifestou contrário ao 13º salário e adicional de férias, direitos trabalhistas garantidos na Constituição.

“O Temer começou com a reforma trabalhista, terceirização, pejotização, tudo errado. Hoje, o vice dele (Bolsonaro) disse que talvez não seja uma boa ideia pagar o 13º. Vai perguntar para ele se ele abre mão do 13º dele. Primeiro, ele dê o exemplo para depois sugerir isso para o trabalhador que recebe um salário mínimo. Falou que abono de férias também não é uma boa ideia. Esses caras estão com a cabeça no século XIX. Já abolimos a escravidão e eles não acordaram para isso ainda”, disse Haddad, que foi aplaudido.

O ex-prefeito de São Paulo estava acompanhado de sua candidata a vice, Manuela D’Ávila (PCdoB) e do candidato a governador no Rio Grande do Sul Miguel Rossetto (PT).

Antes, ele participou de ato em Canoas, na região metropolitana, e em Caxias do Sul, na serra gaúcha. Na serra, lamentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que manteve cancelados 3,3 milhões de títulos eleitorais.

Continua após a publicidade
Publicidade