Clique e assine a partir de 9,90/mês
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

Manuela D’Ávila fica tecnicamente empatada em 2º, atrás de Bolsonaro

Em cenário sem Lula, deputada gaúcha aparece na frente de Alckmin e Haddad, empatada com Ciro e Marina

Por Paula Sperb - Atualizado em 13 jun 2018, 11h47 - Publicado em 13 jun 2018, 11h18

Em uma pesquisa para realizada com eleitores do Rio Grande do Sul pelo Instituto Paraná, a deputada gaúcha Manuela D’Ávila (PCdoB) fica na frente dos veteranos Geraldo Alckmin (PSDB) e Fernando Haddad (PT) em um cenário sem o ex-presidente petista Luiz Inácio Lula da Silva na corrida pela Presidência da República (veja gráfico abaixo).

No mesmo levantamento, quando Lula é incluído entre os presidenciáveis, ele perde pela primeira vez para Jair Bolsonaro (PSL-RJ), conforme mostrou a coluna Radar. Nas pesquisas que abrangem todo o território nacional e não apenas o Rio Grande do Sul, feitas por Ibope e Datafolha, Lula é o preferido. O Instituto Paraná ouviu 1.540 pessoas em entrevistas pessoais em 64 municípios do Rio Grande do Sul.

Como a margem de erro da pesquisa é de 2,5%, Manuela, que tem 7,9% das intenções de voto, fica tecnicamente empatada no segundo lugar, atrás de Bolsonaro. Manuela aparece empatada com Ciro Gomes (PDT), que tem 9,9%, Marina Silva (Rede), 9,9%, e Álvaro Dias (Podemos), com 7,4%. Na sequência estão Geraldo Alckmin (PSDB), com 5,2% e Fernando Haddad (PT).

Quando Lula aparece na pesquisa estimulada (veja segundo gráfico abaixo), a intenção de voto em Ciro, Marina e Manuela caem pelo menos dois pontos. Manuela, então, fica com 4,4%. Quando Lula consta na pesquisa, o número de eleitores que não votaria em nenhum candidato cai de 19,3% do primeiro cenário para 13,4% do segundo cenário.

Continua após a publicidade

Esta é a primeira vez em 95 anos que o PCdoB lança uma candidatura a presidente do país e Manuela tem garantido que não irá recuar para uma possível união entre candidatos de esquerda.

O Instituto Paraná também sondou a intenção de voto dos gaúchos para o próximo governador. Mesmo coma  tradição de não reeleger nenhum governador, os gaúchos apontam o atual chefe do Executivo, José Ivo Sartori (MDB), como o preferido, apesar da reprovação à sua gestão.

Cenário sem Lula

Cenário com Lula

Publicidade