Clique e assine com até 92% de desconto
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

Incentivo à leitura na escola será pago com verba de propaganda

Marchezan Jr. (PSDB) rejeitou projeto, mas vereadores derrubaram veto do prefeito que prejudicava programa que compra livros e leva autores aos colégios

Por Paula Sperb Atualizado em 14 mar 2018, 18h46 - Publicado em 13 mar 2018, 12h38

Diversos estudos mostram que a leitura ajuda a aprimorar o desenvolvimento de crianças. Um estudo recente do Instituto Alfa e Beto (IAB), de São Paulo, em parceria com a Universidade de Nova York (NYU), mostra que a leitura em voz alta ajuda a aprimorar o raciocínio durante a infância, aumentando o Q.I (quociente de inteligência).

Em Porto Alegre, porém, o programa para incentivar a leitura nas escolas públicas, o “Adote um escritor”, seria prejudicado com corte de verba . Por isso, uma emenda para retirar parte do orçamento previsto para custear a propaganda da prefeitura e destiná-lo ao projeto foi aprovada pelos vereadores. Porém, o prefeito Nelson Marchezan Jr. (PSDB) vetou a emenda alegando que prejudicaria a publicidade legal obrigatória.

Nesta segunda-feira, entretanto, os vereadores conseguiram votos para derrubar o veto de Marchezan (veja abaixo como os vereadores votaram). A emenda que destina a verba de publicidade para o programa “Adote um escritor” partiu da Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura, presidida pela vereadora Fernanda Melchiona (PSOL), Sofia Cavedon (PT), Adeli Sell (PT) e Reginaldo Pujol (DEM).

“Adote ume escritor” com a presença de Dilan Camargo, na EMEI Florencia Socias, em dezembro de 2017 Manoelle Duarte, PMPA/Divulgação

“Uma criança com um livro na mão não tem espaço para uma arma”, disse na tribuna do legislativo municipal Christian Nectoux David, da Associação Gaúcha de Escritores (Ages).

“Queremos que esse programa, que contribuiu com a construção de uma cidade mais leitora, torne-se uma polícia de Estado. Na prática o veto significaria a morte do programa. Estamos felizes com essa conquista”, disse a vereadora Melchiona.

Continua após a publicidade
  • O projeto “Adote um escritor’ foi criado em 2002 para promover o hábito de leitura desde a infância. As escolas “adotam” um escritor, a prefeitura compra os livros para as bibliotecas e leva o escritor aos colégios para a leitura e debates obre a obra trabalhada. Além disso, o programa leva crianças à Feira do Livro de Porto Alegre.

    Os corredores da Câmara de Vereadores ficaram repletos de escritores, professores e bibliotecários que integram o movimento #SouAdote, que apoia a permanência do projeto de incentivo à leitura.

    Segundo dados da prefeitura, nos últimos anos, até 2016, ocorreram 130 visitas a escolas, envolvendo aproximadamente 70 autores, 10.000 alunos e mil educadores.

  • Como votaram os vereadores:

    DR. THIAGO (DEM) – Sim
    REGINALDO PUJOL (DEM) – Sim
    FELIPE CAMOZZATO (NOVO) – Não
    JOÃO BOSCO VAZ (PDT) – Sim
    MAURO ZACHER (PDT) – Sim
    MÁRCIO BINS ELY (PDT) – Sim
    ANDRÉ CARÚS (PMDB) – Sim
    COMANDANTE NÁDIA (PMDB) – Não
    IDENIR CECCHIM (PMDB) – Não votou
    LOURDES SPRENGER (PMDB) – Sim
    MENDES RIBEIRO (PMDB) – Sim
    RODRIGO MARONI (PODE) – Não votou
    CASSIÁ CARPES (PP) – Sim
    JOÃO CARLOS NEDEL (PP) – Não
    MÔNICA LEAL (PP) – Ausência justificada
    RICARDO GOMES (PP) – Não votou
    ALVONI MEDINA (PRB) – Não
    JOSÉ FREITAS (PRB) – Sim
    PROFESSOR WAMBERT (PROS) – Não
    AIRTO FERRONATO (PSB) – Sim
    PAULINHO MOTORISTA (PSB) – Sim
    TARCISO FLECHA NEGRA (PSD) – Sim
    MOISÉS BARBOZA (PSDB) – Não
    FERNANDA MELCHIONNA (PSOL) – Sim
    PROF. ALEX FRAGA (PSOL) – Sim
    ROBERTO ROBAINA (PSOL) – Sim
    ADELI SELL (PT) – Sim
    ALDACIR OLIBONI (PT) – Sim
    MARCELO SGARBOSSA (PT) – Sim
    SOFIA CAVEDON (PT) – Sim
    CASSIO TROGILDO (PTB) – Não votou
    DR. GOULART (PTB) – Não
    LUCIANO MARCANTÔNIO (PTB) – Não
    PAULO BRUM (PTB) – Não
    MAURO PINHEIRO (REDE) – Não
    CLÀUDIO JANTA (SD) – Sim

  • Continua após a publicidade
    Publicidade