Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Rio Grande do Sul Por Veja correspondentes Política, negócios, urbanismo e outros temas e personagens gaúchos. Por Paula Sperb, de Porto Alegre

Deputados gaúchos do PMDB blindam Temer em votação de denúncia

Bancada do PP-RS ficou dividida. Veja como os 31 deputados do Rio Grande do Sul votaram

Por Paula Sperb Atualizado em 25 out 2017, 20h48 - Publicado em 25 out 2017, 20h26

Todos os deputados gaúchos do PMDB votaram para blindar o presidente Michel Temer (PMDB) e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) da acusação de formação de organização criminosa e obstrução da Justiça nesta quarta, no Congresso. A denúncia precisa que 342 dos 513 deputados votem contra o presidente, mas a oposição não conseguiu os votos necessários para levar o processo adiante (veja abaixo a lista dos votos dos parlamentares gaúchos).

Assim como na votação da denúncia anterior, a bancada do Partido Progressista do Rio Grande do Sul ficou dividida. A única tucana dos 31 deputados, Yeda Crusius (PSDB) se ausentou da votação.

Deputados a favor do afastamento de Temer votaram “Não” e os deputados contra o afastamento do presidente votaram “Sim”, concordando com o relatório do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) que apontou ausência de provas para incriminar o presidente e seus principais ministros.

“Contra vanguarda do atraso, que destruiu o Brasil, e pelo restabelecimento do emprego”, disse o deputado Alceu Moreira (PMDB-RS) ao votar “Sim”, defendendo Temer. O colega de partido, José Fogaça (PMDB-RS), votou a favor do presidente por “ausência de provas materiais”. O deputado Mauro Pereira (PMDB-RS), que na votação anterior disse que Temer é um “presidente honesto”, declarou seu voto dizendo que “Lula é o chefe da corrupção” e que “Dilma quebrou o Brasil”. Igualmente, Darcísio Perondi (PMDB-RS) aproveitou para criticar a gestão anterior: “Eles enterraram o país. Nós estamos reconstruindo”. “O povo não quer baderna”, disse Jones Martins (PMDB-RS).

Entre os progressistas que se manifestaram pela abertura do processo contra Temer, Luiz Carlos Heinze (PP-RS) disse que votou “mantendo a coerência dos votos anteriores”. Heinze é pré-candidato a governador do Rio Grande do Sul e deve enfrentar o atual governador e aliado de Temer, José Ivo Sartori (PMDB).

  • Por sua vez, os petistas aproveitaram em massa para criticar medidas do atual governo como a reforma trabalhista, da previdência e a limitação de gastos públicos por 20 anos. “O Brasil não merece ser governado pelo chefe de uma organização criminosa que entrega nossas riquezas e massacra o trabalhador do campo e da cidade”, disse Bohn Gass (PT-RS). Quando Paulo Pimenta (PT-RS) votou, o placar virou brevemente a favor daqueles que defendem o processo contra Temer. Por alguns segundos, Pimenta foi aplaudido quando o placar ficou 18 contra o presidente e 17 a favor.

    “Quem vai salvar o Brasil?”, questionou Pompeo de Mattos (PDT-RS), que votou contra Temer.

    Como votaram os 31 deputados gaúchos:

    Afonso Hamm (PP) Não
    Afonso Motta (PDT) Não
    Alceu Moreira (PMDB) Sim
    Bohn Gass (PT) Não
    Cajar Nardes (PR) Sim
    Carlos Gomes (PRB) Sim
    Covatti Filho (PP) Sim
    Danrlei de Deus Hinterholz (PSD) Não
    Darcísio Perondi (PMDB) Sim
    Giovani Cherini (PR) Sim
    Heitor Schuch (PSB) Não
    Henrique Fontana (PT) Não
    Jeronimo Goergen (PP) Não
    Jones Martins (PMDB) Sim
    José Fogaça (PMDB) Sim
    José Otávio Germano (PP) Sim
    José Stedile (PSB) Não
    Luis Carlos Heinze (PP) Não
    Marco Maia (PT) Não
    Marcon (PT) Não
    Maria do Rosário (PT) Não
    Mauro Pereira (PMDB) Sim
    Onyx Lorenzoni (DEM) Não
    Paulo Pimenta (PT) Não
    Pepe Vargas (PT) Não
    Pompeo De Mattos (PDT) Não
    Renato Molling (PP) Sim
    Ronaldo Nogueira (PTB) Sim
    Sérgio Moraes (PTB) Sim
    Yeda Crusius (PSDB) Ausente

  • Continua após a publicidade
    Publicidade