Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Corpo de Naiara, morta aos 7 anos, é encontrado em Caxias do Sul

Desaparecimento da menina, que foi sequestrada enquanto caminhava sozinha para ir à escola, comoveu serra gaúcha

Nas proximidades da represa do Faxinal, uma barragem afastada do centro de Caxias do Sul, na serra gaúcha, o corpo de Naiara Soares Gomes, morta aos sete anos, foi encontrado no final da tarde desta quarta-feira. Próximo do corpo, estava a mochila usada por ela para ir à escola e um sapato da menina. O caso comoveu os moradores da cidade e região. Vizinhos e comunidade escolar chegaram a colaborar nas buscas pela garota.

Naiara desapareceu há doze dias enquanto percorria sozinha os dois quilômetros que separavam a casa de seus tios, onde morava, do colégio onde estudava. Ela levava mais de uma hora para percorrer o trajeto a pé. Conforme VEJA apurou com o Comando Regional de Polícia Ostensiva da Serra (CRPO), cães farejadores da Brigada Militar auxiliaram na localização do corpo.

Um suspeito foi preso pela Polícia Civil de Caxias do Sul, que investiga o caso. O homem confessou o crime. Ele foi identificado porque já era investigado por outro sequestro e estupro de uma criança, em situação semelhante. Um carro branco que apareceu nas câmeras de vídeo de estabelecimentos comerciais que registraram o trajeto de Naiara ajudou a polícia a encontrar o criminoso.

Com um mandado de busca e apreensão, a Polícia Civil recolheu material na casa do homem, que guardava roupas de criança em uma sacola. A delegada Adriana Costa, diretora do Departamento Estadual da Criança e Adolescente (Deca), informou à reportagem que uma equipe de policiais de Porto Alegre permaneceu em Caxias do Sul para colaborar com o caso.

Naiara tinha dois irmãos e morava com os tios e primos em uma bairro pobre de Caxias do Sul. As crianças chegaram a viver acolhidas em um abrigo na cidade de Vacaria após a morte do pai. A mãe, que tem outros filhos, não tinha condições de cuidar das crianças.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. O assassinato de uma criança, qualquer criança, mesmo de uma criança pobre – nos diminui!

    Curtir