Clique e assine a partir de 9,90/mês
Ricardo Rangel

Nem vem de garfo que hoje é dia de sopa

Rodrigo Maia avisou que a CPMF não tem chance

Por Ricardo Rangel - Atualizado em 1 ago 2020, 16h57 - Publicado em 1 ago 2020, 19h30

Rodrigo Maia disse:

“O presidente vai mandar a proposta [de um novo imposto]? Então, encaminha a proposta. Estou dando a minha opinião. Não vai passar. Eu sou um voto. Em PEC, eu voto. Vou votar contra. Eu jogo muito transparente na política. Não jogo pelas costas. Quando eu negocio, falo: ‘Eu sou contra isso e meu voto vai ser assim’. Aqueles poucos que eu influencio, vou tentar influenciar também para votar contra”, afirmou o presidente da Câmara.

Rodrigo Maia quis dizer:

“Encaminha a proposta.” Para de enrolar, Paulo Guedes. Para de dizer que CPMF não é CPMF, para de dizer que a CPMF é uma panaceia, para de fazer mil promessas de crescimento por conta de uma desoneração que ninguém sabe se ou quando virá, nem muito menos qual custo retirará da produção ou em quanto aumentará o crescimento. Se tem a proposta e a coragem de encaminhar, encaminha; se não tem, para de lero-lero.

Continua após a publicidade

“Estou dando minha opinião. Não vai passar.” Eu sou o presidente da Câmara, sei quem vota como. Estou avisando que não tem chance de passar.

“Eu jogo transparente na política. Não jogo pelas costas.” Presidente Bolsonaro e ministro Guedes, vocês precisam parar de combinar uma coisa com o Congresso e depois dizer o contrário nos jornais.

“Em PEC, eu voto. Vou votar contra. Aqueles poucos que eu influencio, vou tentar influenciar também para votar contra.” Podem tirar o cavalinho da chuva, que eu tenho votos suficientes para barrar a proposta.

Publicidade