Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Ricardo Rangel

Catastre inevitável

Paulo Guedes diz que mudou seu jogo para 4-3-3, mas a verdade é que não tem ataque nem defesa

Por Ricardo Rangel 28 abr 2021, 15h11

Paulo Guedes, como se sabe, gosta de metáforas futebolísticas.

Minimizou o barata-voa em sua equipe dizendo que apenas mudou o esquema de jogo, passando do 4-4-2 para o 4-3-3.

Ou seja, fez o que o imortal Neném Prancha, em seu característico linguajar, chamava de “arrecuar os arfes para evitar a catastre”.

Mas a verdade é que Guedes mudou seu esquema de jogo para 0-11-0.

Não tem ninguém no ataque, não vai conseguir fazer reforma nenhuma. E ninguém na defesa, não consegue barrar os ataques do centrão. Seus jogadores estão no meio do campo, girando como enceradeiras, sem ir a lugar algum.

Como já se fala em desmembrar o Ministério da Economia em três, Guedes periga acabar jogando no ainda mais estranho esquema 0-3,67-0.

Já o centrão está jogando com 11 atacantes, todos enfiados, fazendo um gol atrás do outro.

A catastre, já se vê, é inevitável.

Continua após a publicidade
Publicidade