Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Ricardo Rangel

“Acabou a mamata!”, proclamou Jair Bolsonaro

O Tratoraço e o Petrolão não são muito diferentes

Por Ricardo Rangel Atualizado em 10 Maio 2021, 20h00 - Publicado em 10 Maio 2021, 19h27

Resistente a compartilhar o poder, Lula aceitou um esquema em que empresas estatais, como a Petrobras, faziam compras desnecessárias e/ou superfaturadas e desviavam dinheiro com o qual se comprava o apoio de parlamentares no Congresso. Fez isso de maneira secreta — naturalmente.

Resistente a compartilhar o poder, Bolsonaro aceitou um esquema em que recebe o apoio de parlamentares em troca do direito de escolher os fornecedores de quem empresas estatais, como a Codevasf, fazem compras aparentemente desnecessárias e, em muitos casos, superfaturadas. Fez isso de maneira secreta — naturalmente.

Quem for capaz de encontrar uma diferença significativa entre o esquema de cooptação de apoio de Lula e o de Bolsonaro que o faça.

“Acabou a mamata!” proclamou Jair Bolsonaro. “No meu governo não vai ter toma-lá-dá-cá”, prometeu Jair Bolsonaro. “Duvido que alguém aponte corrupção no meu governo”, desafiou Jair Bolsonaro.

Continua após a publicidade
Publicidade