Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TODOS CONTRA DILMA? Setores lulistas da imprensa criticam reação do governo e do PT ao panelaço

Eu, hein, Rosa! Daqui a pouco, a defesa de Dilma Rousseff vai sobrar pra mim, né? Como se diz na minha terra, “Vorrrta, bicho!”. Eu não! A “Carta Capital” — revista governista, petista ou sei lá que “ista” defina melhor a posição em que a publicação costuma ficar — criticou a reação dos petistas ao […]

Eu, hein, Rosa! Daqui a pouco, a defesa de Dilma Rousseff vai sobrar pra mim, né? Como se diz na minha terra, “Vorrrta, bicho!”. Eu não! A “Carta Capital” — revista governista, petista ou sei lá que “ista” defina melhor a posição em que a publicação costuma ficar — criticou a reação dos petistas ao panelaço contra Dilma. Lino Bocchini, um ex-Fora do Eixo (aquela religião pagã e bem paga do Capilé), ainda com um vocabulário que denuncia a sua origem (eles adoram coisas como “construção de narrativas”), escreve (em vermelho):
A reação do Partido dos Trabalhadores ao panelaço promovido por setores da população em cerca de dez capitais brasileiras durante o pronunciamento da presidenta Dilma Rousseff na noite deste domingo mostra o quanto o partido está descolado da realidade. Mostra, também, o quanto os responsáveis por sua comunicação não conseguem decifrar os tempos atuais e suas novas formas de mobilização, de difusão de ideias e de construção de narrativas – verdadeiras ou não.

O repórter vai adiante:
O vice-presidente do partido, Alberto Cantalice, anunciado pelo PT como seu “coordenador de redes sociais”, não ajudou muito. No mesmo texto oficial, classificou as manifestações de domingo à noite como “uma orquestração com viés golpista que parte principalmente dos setores da burguesia e da classe média alta”. Os vídeos e relatos postados nas redes sociais mostram como, de fato, o panelaço (e as buzinas, gritos e fogos de artifício) foram mais frequentes em bairros ricos das maiores cidades brasileiras. Há, contudo, relatos em bairros paulistanos como Butantã, Santana ou Jardim Marajoara, com população nas quais não é possível aplicar genericamente o rótulo de “burguesia”.

E Ricardo Kotscho, o amigão e eterno assessor de Lula? Em seu blog, afirmou (em vermelho):
(…) logo cedo, perguntei à dona Edite, uma senhora baiana que trabalha com minha família faz mais de vinte anos, se houve algum protesto semelhante no bairro dela, o Jardim João 23, na periferia da zona oeste paulistana. Pelo seu relato, e eu não tenho nenhum motivo para duvidar, lá foi tudo igual.

Kotscho, sendo quem é, ataca, claro!, os “pit bulls” da imprensa (que eu saiba, sou o rottweiler), acusando-os de incentivar o “espírito de manada”, mas considera:
Enganam-se, porém, os estrategistas do governo se acreditarem nesta versão conspiratória do PT de que tudo não passa de rugidos da elite branca, os tais “coxinhas tucanos”, inconformados com a derrota nas eleições de outubro, e que o povão está satisfeito da vida. Não está.

O passado
É… Ah, as minhas retinas cansadas jamais se esquecerão de um texto deste senhor, https://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/jornalista-lulista-chapa-branca-e-esperto-quer-fichar-os-que-acham-o-governo-%E2%80%9Cruim-ou-pessimo%E2%80%9D/ escrito em maio de 2010, em que ele sugeria que a imprensa tentasse identificar onde estavam os apenas 5% que consideravam o governo Lula ruim ou péssimo. Ele não economizava. Escreveu:
Quem são eles, onde vivem, o que fazem, o que pensam ? Já que ninguém se atreve a investigá-los, disponho-me aqui a encontrar algumas respostas sobre o perfil deste minoritário, mas sólido contingente de brasileiros que não mudam de opinião, mesmo remando contra a maré.

Na cabeça de Kotscho, então, aqueles 5% eram pessoas cuja inteligência era dissolvida pela imprensa “conservadora”:
Confundem o país com o governo, a vida real com o noticiário do poder, ao reproduzir o que leem nas manchetes e nos editoriais dos grandes veículos, nos blogs da Veja.com, nas colunas de O Globo ou ouvem dos comentaristas da CBN e da Jovem Pan.

Vale dizer: em maio de 2010, resta evidente que Kotscho considerava que Lula mereceria nada menos do que a unanimidade. A sua aprovação chegava perto da de um monarca saudita, mas o homem achava pouco e queria saber onde morava aquela minoria esmagada. Hoje em dia, parece, apesar dos “pit bulls”, ele reconhece alguns motivos para desalento. A empregada pode ter feito por ele o que o noticiário da “mídia burguesa” não fez.

E, se alguém está achando que eu vou aqui saudar a chegada deste ou daquele ao bom senso, pode esquecer. Essas críticas são manifestações do PT lulista, inconformado com a incompetência política do PT dilmista. Originalmente, é a causa também do destampatório de Marta Suplicy. Só que a senadora errou na dose e, parece-me, não tem mais como ficar no partido.

É claro que esses lulistas mistificam a realidade quando supõem que, sob Lula, as condições econômicas do país estariam muito melhores. Ele teria, certamente, mais habilidade política no trato de certas questões porque consegue, nessa área, ser bem mais vicioso do que sua sucessora, o que deixa a muitos encantados.

Aliás, não se enganem — e não estou sugerindo que seja necessariamente o caso dos dois jornalistas que cito (se achasse, diria; nunca sou oblíquo) —, há muitos petistas insatisfeitos com Dilma porque acham que lhe falta malandragem.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Comentado por:

    Toninho Malvadeza

    Li um livro de Kotcho ” Do golpe ao Planalto”,depois o destino da obra foi forrar o fundo da gaiola…

    Curtir

  2. Comentado por:

    Alysson

    Reinaldo Azevedo, venho cada vez mais me preocupando com as constantes noticias sobre a politica no nosso já que a credibilidade só cai por conta disso, mas meu maior temor é em relação aos boatos sobre intervenção do exército, isso poderá acontecer? O risco Brasil vai piorar?

    Curtir

  3. Comentado por:

    Largio Pilau

    Sera que o dinheiro facil que financiava certa imprensa esta ficando escasso, e para pressionar a volta da grana se mostram descontentes?

    Curtir

  4. Comentado por:

    Tobias

    De acordo com “gênios”da articulação como Sakamoto e Juca Kfuri, o panelaço ao qual foi submetido o pronunciamento da nossa atual presidenta não passo de mais uma manifestação golpista da já renomada e requisitada “elite-branca-facista”, partindo principalmente de varandas gourmet de bairros como Jardins e ressoadas por batuques de panelas Le Creuset.
    Pesquisa divulgada em 09 de fevereiro pelo Datafolha: 44% de ruim e péssimo em todo o país. Decorrido um mês da pesquisa,e somando-se as incomodas (para o PT) revelações da Lava Jato, não é preciso ser um gênio – sem aspas dessa vez – para saber que os insatisfeitos já somam quase a exata metade da população.
    Somando a lógica dos gênios com a leitura política esfarrapada e patética dos “gênios”, temos um país onde praticamente 50% da população reclama por fazer parte da chamada “classe dominante”.
    Desafio 1 único simpatizante de Sakamoto, Kfouri, Jean Willys, Safatle, ou qualquer coisa que os valha, a me mostrar um único vestígio de lógica nesse discurso.
    Minha opinião: contra intelectuais como esses, o debate não se faz necessário. Deixem que a seleção natural cumpra seu destino e não irá demorar para nos vermos livres da influência de tipos como estes.

    Curtir

  5. Comentado por:

    Adriano

    Metodologia muda, e PIB de 2011 cresceu 3,9%, e não 2,7%, diz IBGE http://glo.bo/1Mrn93H Agora o Brasil não está mais em recessão. Viu que maravilha? João Santana vai dizer isso em 2018 e o esgoto moral vai repetir até a vitória. Como esperado, a matéria do G1 não cita o momento em que Dilma resolve mudar o cálculo do PIB. Foi depois disso: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/54216-com-economia-em-marcha-lenta-dilma-diz-que-pib-nao-e-tudo.shtml E assim o PT vai transformando mentiras em verdades: apostando no esquecimento, na desinformação e na bunda mole de muita gente.

    Curtir

  6. Comentado por:

    Aretha Mello

    Reinaldo,escutei a seguinte frase agora há pouco: “Vaiar a Dilma é o melhor programa social já inventado pelo PT: você vaia hoje e amanhã mesmo já vira elite.”

    Curtir