Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Relatório da ONU faz o que boa parte da imprensa se nega sistematicamente a fazer: reconhecer o sucesso de SP no combate à violência

Já escrevi dezenas de textos a respeito. A canalha petralha me acusa de fazê-lo porque, bem, os idiotas me acusam de ser “tucano”, o que qualquer tucano sabe ser mentira por razões óbvias. O fato é que a política de combate à violência no Estado finalmente tem o destaque que merece. Leiam o que informa […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 10h33 - Publicado em 6 out 2011, 15h39

Já escrevi dezenas de textos a respeito. A canalha petralha me acusa de fazê-lo porque, bem, os idiotas me acusam de ser “tucano”, o que qualquer tucano sabe ser mentira por razões óbvias. O fato é que a política de combate à violência no Estado finalmente tem o destaque que merece. Leiam o que informa o Portal G1. Volto sem seguida.

A taxa de homicídios no estado de São Paulo caiu de 20,8 por grupo de 100 mil, em 2004, para 10,8 em 2009, segundo relatório que será divulgado nesta quinta-feira (6) pelo Escritório das Organizações das Nações Unidas (ONU) sobre Drogas e Crime. No Brasil, a taxa de assassinatos praticamente se manteve estável entre 2001 e 2009.

O primeiro “Estudo Global sobre Homicídio” reúne dados oficiais de diversos países do mundo no ano de 2010 ou no último ano antes disso em que os dados estivessem disponíveis à época da coleta.

Na página 12, o relatório afirma que essa queda do número de homicídios em São Paulo foi enorme e aponta essa diminuição como um exemplo, resultado de investimento em prevenção e medidas repressivas.

Nas páginas 78 e 79, o estudo elogia São Paulo mais uma vez, dizendo que no estado funcionaram as políticas de prevenção do crime, como controles mais rígidos na posse de armas de fogo e campanhas pelo desarmamento.

Voltei
O último parágrafo do G1 pode confundir um tantinho as coisas. O relatório diz que tais políticas certamente contribuíram para a queda de homicídios, mas destaca que, em São Paulo, ela foi muito maior do que em outros estados, como o Rio, por exemplo. E conclui, então, a coisa certa e óbvia: a polícia preventiva e repressiva do estado é mais eficiente. Como sempre se apontou neste blog — contra a opinião ideologicamente interessada de alguns de nossos “estudiosos”, que se negam a reconhecer a eficiência da Polícia.

Continua após a publicidade
Publicidade