Clique e assine com 88% de desconto
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Quem vazou sigilo deve se explicar, diz Jorge Mattoso

Por Maurício Simionato, na Folha:O ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso disse ontem à Folha que não tem “nada a ver com o rompimento do sigilo” bancário do caseiro Francenildo Costa, ocorrido em 2006. Ele afirmou que “quem passou isso [dados do sigilo] à imprensa é que tem que dar a explicação”.Na sexta-feira, o […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 23 fev 2017, 07h21 - Publicado em 27 fev 2008, 07h17
Por Maurício Simionato, na Folha:
O ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso disse ontem à Folha que não tem “nada a ver com o rompimento do sigilo” bancário do caseiro Francenildo Costa, ocorrido em 2006. Ele afirmou que “quem passou isso [dados do sigilo] à imprensa é que tem que dar a explicação”.
Na sexta-feira, o procurador-geral da República, Antonio Fernando Souza, pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) que abra processo criminal contra o deputado federal e ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci (PT-SP) por quebra de sigilo funcional. Mattoso e Marcelo Netto, então assessor de imprensa do Ministério da Fazenda, também foram denunciados. Palocci -que era o superior de Mattoso- é acusado de ter ordenado a violação de sigilo bancário do caseiro.
Mattoso, que deixou a Caixa no mesmo dia em que Palocci saiu do ministério, leciona hoje no Instituto de Economia da Unicamp. “Não fiz nada mais do que passar a informação para o Coaf [Conselho de Controle de Atividades Financeiras], que era minha obrigação, e para meu superior [Palocci]. Ponto”, disse ontem, por telefone. Na época, o advogado de Mattoso, Alberto Toron, informou que seu cliente entregou a única cópia do extrato impressa na Caixa pessoalmente ao então ministro em 16 de março.
Em depoimento à Polícia Federal, Palocci negou ter pedido ou vazado os extratos. O advogado de Palocci, José Roberto Batochio, disse: “Respeito a posição dele [Mattoso]. Mas é complicado comentar, fica no disse-que-me-disse”.

FOLHA – O sr. quer se manifestar sobre a quebra de sigilo do caseiro e a denúncia feita pelo procurador?
JORGE MATTOSO
– Não. Não tem nada de novo.

FOLHA – O sr. também foi denunciado com Palocci.
MATTOSO –
Não sei. Vocês já tiveram acesso à denúncia?

FOLHA – O procurador pediu ao STF que seja aberto inquérito criminal.
MATTOSO
– Não sei. Eu não vi ainda.
Assinante lê mais aqui

Publicidade