Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

PT quer Chalita no palanque de Dilma

Por Julia Duailibi e Clarissa Oliveira, no Estadão: O vereador paulistano Gabriel Chalita (PSDB) avisou o ex-governador e padrinho político Geraldo Alckmin que sairá do partido. Com um pé no PSB, Chalita se reúne hoje com o comando do PT, com o qual flertou e para o qual cogitou mudar, a fim de dar andamento […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 16h51 - Publicado em 18 set 2009, 05h21

Por Julia Duailibi e Clarissa Oliveira, no Estadão:
O vereador paulistano Gabriel Chalita (PSDB) avisou o ex-governador e padrinho político Geraldo Alckmin que sairá do partido. Com um pé no PSB, Chalita se reúne hoje com o comando do PT, com o qual flertou e para o qual cogitou mudar, a fim de dar andamento às discussões sobre uma composição em 2010. A ida de Chalita, vereador mais votado em 2008, para a base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva fortaleceria o palanque da pré-candidata, Dilma Rousseff, no maior colégio eleitoral do País, governado desde 1995 pelo PSDB.

O PSB espera a filiação de Chalita já na semana que vem. Anteontem, o vereador conversou em Brasília com o presidente do partido, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Pelo PSB, Chalita deve disputar uma vaga ao Senado – embora tenha sido sinalizada a hipótese, pouco provável, de concorrer ao governo do Estado. O cenário hoje é o de dobradinha com Aloizio Mercadante (PT), candidato à reeleição. A negociação acirra também a disputa interna no PT paulista. O time da ex-ministra Marta Suplicy sonhava em tê-la na corrida por uma cadeira no Senado.

Chalita esteve recentemente com o presidente do PT, Ricardo Berzoini, e com a pré-candidata do partido à Presidência, Dilma Rousseff. Deixou claro ao comando petista que tem uma “grande simpatia” por Dilma, resultado dos dois encontros que teve com a ministra. Pesquisas qualitativas encomendadas por ele, no entanto, mostravam que não seria bem vista pelo eleitorado sua mudança para o PT, ferrenho opositor dos tucanos em São Paulo. A alternativa seria outro partido da base. Na terça-feira, ele se encontra com a presidenciável do PV, Marina Silva. Deve recusar o convite dos verdes, por avaliar que o partido tem pouco tempo de televisão. Aqui

Publicidade