Clique e assine a partir de 8,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

PSDB quer que Gilberto Carvalho se explique à Câmara

Por Gabriel Castro, na VEJA Online: O PSDB pediu nesta terça-feira a convocação do secretário-geral da Presidência, o ministro Gilberto Carvalho, para falar à Câmara dos Deputados sobre o escândalo de corrupção no Ministério do Trabalho. A mais recente edição de VEJA traz o depoimento do sindicalista Irmar Batista, vítima de extorsão dentro da pasta. […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 10h02 - Publicado em 29 nov 2011, 21h21

Por Gabriel Castro, na VEJA Online:
O PSDB pediu nesta terça-feira a convocação do secretário-geral da Presidência, o ministro Gilberto Carvalho, para falar à Câmara dos Deputados sobre o escândalo de corrupção no Ministério do Trabalho. A mais recente edição de VEJA traz o depoimento do sindicalista Irmar Batista, vítima de extorsão dentro da pasta. Depois que subordinados de Carlos Lupi pediram 1 milhão de reais para regularizar o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Reparação de Veículos e Acessórios do Estado de São Paulo (Sirvesp), Irmar enviou correspondências à presidente Dilma Rousseff e a Gilberto Carvalho, mas nada foi feito.

O requerimento foi apresentado à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle e só tem chances de ser aprovado se a base aliada aceitar a ida de Carvalho à Casa. “Diante da gravidade dos fatos, da omissão da Presidência da República e da informação de que o Ministro Gilberto Carvalho teria sido previamente alertado sobre as denúncias, urge convocar o referido ministro para que preste esclarecimento sobre as denúncias acima referidas”, argumentam os tucanos no pedido.

Também nesta terça-feira, o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira, apresentou à Procuradoria-Geral da República (PGR) um complemento a uma representação contra Lupi e outras duas pessoas: o coordenador-geral de Qualificação do Trabalho, Anderson Alexandre dos Santos, e o ex-chefe de gabinete do ministro, Marcelo Panella.

Os tucanos já havia apresentado à PGR um pedido semelhante quando VEJA mostrou as primeiras revelações sobre o esquema de cobrança de propina dentro do ministério: “É preciso considerar que não se trata de um fato isolado”, afirma diz Duarte Nogueira na nova representação. “Tem-se situação em muitos aspectos semelhante àquela que motivou o oferecimento de representação anterior, contra os mesmos funcionários”.

Continua após a publicidade
Publicidade