Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Opa! Agora só falta Dilma dizer que a grande tristeza de São Paulo é não ser o Rio…

Tem lá a sua graça. Leio na Folha Onlineo que segue: Em visita a Santa Catarina nesta quarta-feira (27), a presidente Dilma Rousseff brincou em discurso ao afirmar que “a grande tristeza do Rio Grande do Sul é que Porto Alegre não é Florianópolis”. A presidente estava em São Francisco do Sul, no litoral norte […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 04h55 - Publicado em 27 nov 2013, 17h54

Tem lá a sua graça. Leio na Folha Onlineo que segue:
Em visita a Santa Catarina nesta quarta-feira (27), a presidente Dilma Rousseff brincou em discurso ao afirmar que “a grande tristeza do Rio Grande do Sul é que Porto Alegre não é Florianópolis”. A presidente estava em São Francisco do Sul, no litoral norte de Santa Catarina, inaugurando uma expansão no porto. Ao falar ao público, relembrou quando morava no Estado vizinho e ia a Santa Catarina a turismo.

“Vocês sabem que a grande tristeza do Rio Grande do Sul é que Porto Alegre não é Florianópolis. Porque as praias de Florianópolis são belas, né? E nós [moradores de Porto Alegre], infelizmente, apesar da beleza de Porto Alegre, não temos praias de mar”, disse. Dilma ainda demonstrou seu apreço pelo mar. “Eu, como mineira também, sempre tive essa melancolia pelo mar, que a gente nunca teve.” Sobre São Francisco do Sul, cidade que visitou na época, a presidente disse se lembrar “da beleza de seus casarões centenários e coloridos” e “das calçadas que terminam à beira da baía”.

Voltei
É… Acho que o João Santana não estava por perto. Agora só falta Dilma dizer em São Paulo que o grande problema da cidade é não ser o Rio, né? Eu fico sempre pensando em Higienópolis com vista para o mar. Aposto que eu seria, assim, mais “progressista”, a exemplo dos extremistas de esquerda de Copacabana, Leblon e Ipanema — os das coberturas costumam ser ainda mais radicais… É a força do mar, que confere largueza aos espíritos. Daqui da janela, vejo ao longe sabem o quê? O Pico do Jaraguá! 

Cláudio Manuel da Costa, poeta mineiro (como Dilma) e inconfidente, tem um belo poema que trata da influência da geografia na sensibilidade. Com vista para o mar, não teria sido possível. O texto segue abaixo. O que ele tem a ver com o conjunto da obra? Nada, leitor! Eu faço um esforço danado para que a política brasileira, na atual quadra, pareça algo um pouco mais, com direi?, cultivado.

Temei, Penhas…
Destes penhascos fez a natureza
O berço em que nasci: oh! quem cuidara
Que entre penhas tão duras se criara
Uma alma terna, um peito sem dureza!

Amor, que vence os tigres, por empresa
Tomou logo render-me; ele declara
Contra meu coração guerra tão rara
Que não me foi bastante a fortaleza.

Por mais que eu mesmo conhecesse o dano
A que dava ocasião minha brandura,
Nunca pude fugir ao cego engano;

Vós que ostentais a condição mais dura,
Temei, penhas, temei: que Amor tirano
Onde há mais resistência mais se apura.

 

Continua após a publicidade
Publicidade