Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Obra de Dilma: Fitch rebaixa de novo nota do Brasil

O país está agora dois degraus abaixo do “grau de investimento”; desordem nas contas públicas pesou na decisão

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 22h49 - Publicado em 5 Maio 2016, 21h00

Na VEJA.com:
A agência de classificação de risco Fitch rebaixou nesta quinta-feira a nota de crédito soberano do Brasil para “BB”. Com isso, o rating do país mergulha ainda mais dentro do chamado grau especulativo, no qual estão empresas e países considerados mais arriscados para os investidores.

No anúncio, a Fitch informou que a perspectiva para a nota brasileira é negativa. Isso significa que novas revisões para baixo poderão ocorrer nos próximos meses.

Entre outros motivos para o corte, a Fitch citou a contração maior que a esperada da economia brasileira, a situação problemática das contas públicas e mudanças recorrentes nas metas fiscais, que minam a credibilidade dos investidores nas medidas tomadas pelo governo para reduzir o rombo das contas.

O anúncio da Fitch ocorre menos de cinco meses depois de a agência deixar de considerar o Brasil “investment grade”, selo dado a empresas e países considerados mais seguros para os investidores. A nota atual está dois níveis abaixo do patamar “investment” grade na escala da agência.

Todas as três principais agências de classificação de risco já tiraram do Brasil o selo de bom pagador. A primeira foi a Standard & Poor’s, em setembro do ano passado. Na sequência vieram a Fitch, em dezembro, e a Moody’s, em fevereiro deste ano.

Continua após a publicidade
Publicidade