Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

“O meu querido Evo”, o índio de araque, manda o Exército descer o sarrafo nos índios de verdade. Um bebê morreu; dezenas estão desaparecidos

“Meu querido Evo!” É assim que Lula se refere àquele índio de araque que governa a Bolívia. Já fui muito insultado aqui por tratá-lo assim. Ocorre que de índio o espertalhão só tem a cara.Vejam este vídeo e leiam depois texto da France Presse. O presidente da Bolívia, Evo Morales, suspendeu o projeto de construção […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 10h39 - Publicado em 27 set 2011, 06h57

“Meu querido Evo!” É assim que Lula se refere àquele índio de araque que governa a Bolívia. Já fui muito insultado aqui por tratá-lo assim. Ocorre que de índio o espertalhão só tem a cara.Vejam este vídeo e leiam depois texto da France Presse.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=7iGqZVjjGBg&w=420&h=315]

O presidente da Bolívia, Evo Morales, suspendeu o projeto de construção da estrada que cortaria uma reserva ecológica na Amazônia boliviana, até que as partes envolvidas sejam consultadas, informou na noite desta segunda-feira a Casa de Governo. “Enquanto houver este debate nacional e para que os departamentos decidam, fica suspenso o projeto de estrada sobre o Território Indígena Parque Nacional Isiboro Sécure”, destacou o presidente.

A estrada em questão é parte da rodovia que unirá os oceanos Pacífico e Atlântico e promoverá o comércio na América do Sul. O projeto é financiado pelo Brasil, com custo total de 415 milhões de dólares. Morales não revelou quando e como ocorrerá a consulta, mas funcionários do governo já tinham avaliado que tal processo exigirá de seis meses a um ano.

“Quero salvar um compromisso diante da história e do povo boliviano, especialmente diante dos departamentos (de Beni e Pando), para que haja um debate nacional, um debate do povo boliviano, que decidirá”.

“Que seja o povo a decidir, especialmente nos dois departamentos, o que o governo nacional já decidiu apenas cumprindo as leis e atendendo aos pedidos”, destacou Morales.

Continua após a publicidade

Protestos
Habitantes da localidade de Rurrenabaque, na Amazônia boliviana, libertaram nesta segunda os 300 indígenas que a polícia deteve na véspera durante uma ação repressiva que gerou indignação e provocou a renúncia da ministra da Defesa, Cecilia Chacón. Em Rurrenabaque, 320 km ao norte de La Paz, a população tomou o aeroporto local e bloqueou a pista de pouso, para evitar que os indígenas detidos fossem levados de volta, contra sua vontade, a suas regiões de origem, informou o prefeito local, Yerko Núñez.

No domingo, a polícia boliviana dispersou com violência o grupo de indígenas que seguia em direção a La Paz para rejeitar a construção da estrada que atravessa o Parque Nacional Isiboro Sécure. A operação ocorreu em Yucumo, onde os indígenas foram retirados de suas barracas e, colocados à força em ônibus que seguiram para San Borja. Mas dezenas de indígenas conseguiram escapar dos policiais e nesta segunda-feira voltaram à estrada, com o apoio da população de San Borja, em meio à crescente tensão e ao repúdio à violência policial.

Encerro
Evo já roubou uma refinaria da Petrobras. Invadiu e tomou para ele. E ponto. O lulo-petismo reagiu como? Ora, com financiamento do BNDES! Evo também oficializou os carros roubados que estão em seu país — a maioria é do Brasil. Basta pagar uma taxa, e fica tudo certo. Estamos falando, enfim, de um homem decente!Essa estrada financiada pelo BNDES já foi apelidada de “Transcoca”. O índio de araque abriu novos campos de produção da folha que serve de base para a produção da pasta. Refinada, vira a cocaína. Nada menos de 80% do pó consumido no Brasil vem da Bolívia. O governo daquele país não moveu uma palha para conter o tráfico, e o do Brasil resolveu asfaltar a estrada do pó.

Deve haver alguma maneira de fazer isso render por aqui um processo de  crime de responsabilidade. O dinheiro brasileiro que financia a Transcoca vai parar no nariz dos consumidores e se transforma em armas nas mãos dos meninos do tráfico. Evo já roubou as nossas refinarias e os nossos carros. Agora, é provável, dará um beiço no BNDES. A gente poderia dizer: “Bem feito!” Mas seria tolice. Aquele dinheiro é nosso.

Só para lembrar: o Apedeuta não só resolveu financiar a Transcoca como já usou um colar com as folhas que estão na origem de quase 50 mil mortos no Brasil numa viagem que fez a Bolívia.

Lula, o seu querido Evo e o adorno do capeta no pescoço

Lula, o seu querido Evo e o adorno do capeta no pescoço

Continua após a publicidade
Publicidade