Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

O filósofo do troca-troca

O leitor está bem do estômago? Então vêm fortes emoções. O Estadão deste domingo entrevistou o deputado Nelson Goetten (SC). Escreve Felipe Recondo: “Ameaçado de perder o mandato no Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado Nelson Goetten (SC), que deixou o oposicionista DEM para aderir ao governo, pelo PR, é direto: não vê motivo para […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 20h21 - Publicado em 30 set 2007, 09h06

O leitor está bem do estômago? Então vêm fortes emoções. O Estadão deste domingo entrevistou o deputado Nelson Goetten (SC). Escreve Felipe Recondo:

“Ameaçado de perder o mandato no Supremo Tribunal Federal (STF), o deputado Nelson Goetten (SC), que deixou o oposicionista DEM para aderir ao governo, pelo PR, é direto: não vê motivo para instituir a fidelidade, pois não acredita que os partidos tenham ideologia. “Esse mundo de partidos é um balcão de negócio, é uma prostituição”, admite o parlamentar, em entrevista ao Estado. Goetten, que já foi filiado ao PP, argumenta que faz parte da cultura política do Brasil o troca-troca partidário. Por isso, alega, o Judiciário não deveria punir a prática. Ele garante que não foi para a base do governo em busca de cargos ou liberação de emendas. Os números do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) mostram, no entanto, que a infidelidade foi um ótimo negócio. O PR recebeu, porcentualmente, o dobro do que foi pago ao seu partido antigo, o DEM, mesmo com número menor de parlamentares – o DEM contabiliza 59 deputados e o PR, 42.”
Assinante lê mais aqui

Publicidade