Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Ninguém deu o remédio, conforme prescrevi?

O que será que Alckmin fez para Cláudio Lembro, hein? Ou o que será que Lembo acha que ele fez? O homem continua sem ouvir os meus conselhos e está passando longe do lítio. Ele é muito mais prejudicial à campanha do tucano à Presidência do que qualquer petralha. Nesta terça, depois de lançar um […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 23h14 - Publicado em 12 set 2006, 15h30
O que será que Alckmin fez para Cláudio Lembro, hein? Ou o que será que Lembo acha que ele fez? O homem continua sem ouvir os meus conselhos e está passando longe do lítio. Ele é muito mais prejudicial à campanha do tucano à Presidência do que qualquer petralha. Nesta terça, depois de lançar um programa de fomento ao cinema paulista — o que é sempre um perigo para a cultura nacional, rá, rá, rá — declarou este homem sincero: “No sistema penitenciário, nós perdemos os limites e o equilíbrio, esquecemos a lei de execução penal e fomos para um tratamento pessoal ao criminoso, e aí equivocamos. Quando você sai da lei, você cria sempre um tumulto”. Ele era vice-governador; pertencia ao partido que dividia a administração com Alckmin. Por que nunca ouvimos a sua voz? Era por decoro? E o que faz agora? É decoroso? Está querendo ganhar uma medalha de honra ao mérito de Lula? Em seguida, fez elogios à política de segurança. Sob o pretexto de ser rigoroso, ou parece um tolo ou um ciclotímico patológico. E se confirma, creio eu, o que escrevi aqui como hipótese outro dia: tem a concupiscência da humildade. Ou vejamos: “Você veja que, em três meses, e eu não estou sendo vaidoso, mas em três meses já conseguimos reequilibrar o sistema e as coisas vão normais, preservando os direitos humanos dos presos, mas ao mesmo tempo preservando a nossa dignidade dos que estamos aqui fora”. Lula diz ter feito em quatro anos o que o PSDB não fez em oito. Menos modesto, Lembo acha que lhe bastam três meses. Ainda bem que está acabando.
Publicidade