Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Não deve ser este o Taleban moderado de que fala Obama, né?

No Estadão: Um dos principais hotéis do Afeganistão, o Intercontinental de Cabul, sofreu ontem um ataque do Taleban. Depois de invadir o local, frequentado por estrangeiros e autoridades, os insurgentes trocaram tiros por mais de quatro horas com as forças de segurança que cercaram o prédio. A ação terminou, segundo a polícia afegã, com a […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 11h30 - Publicado em 29 jun 2011, 06h27

No Estadão:
Um dos principais hotéis do Afeganistão, o Intercontinental de Cabul, sofreu ontem um ataque do Taleban. Depois de invadir o local, frequentado por estrangeiros e autoridades, os insurgentes trocaram tiros por mais de quatro horas com as forças de segurança que cercaram o prédio. A ação terminou, segundo a polícia afegã, com a morte de pelo menos dez civis, incluindo funcionários do hotel, além de todos os seis terroristas.

O ataque ocorreu poucos dias após o presidente dos EUA, Barack Obama, prometer retirar as tropas americanas do Afeganistão mais rápido do que o previsto e mostrou a precariedade da segurança na capital do país.

Horas após o fim do confronto, autoridades não sabiam dizer quantos terroristas haviam participado da ação, que começou por volta das 22 horas (15h30 em Brasília) e durou mais de quatro horas. O governo afegão disse que foram seis homens-bomba, todos mortos – dois por guardas do hotel, no início do ataque, e quatro durante a ação.

O Taleban assumiu a autoria das invasão enquanto seus militantes ainda resistiam no hotel, mas não deu detalhes sobre quantos insurgentes participaram do atentado, considerado incomum para os padrões do grupo, que prefere explodir artefatos em vez de buscar o confronto com forças de segurança.

Segundo Zabiullah Mujahid, um dos porta-vozes do Taleban, os militantes “vasculharam vários andares do edifício” para matar “hóspedes afegãos e estrangeiros”. Uma conferência sobre a transferência da segurança do país da Otan para as forças afegãs estava marcada para hoje na capital, mas os organizadores disseram que nenhuma das palestras ocorreria no hotel. Aqui

Publicidade