Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Lula no RS e um pouco de Latim para ele

Depois de ter comparado a oposição aos nazistas na conversa com evangélicos, o Apedeuta afirmou, em comício em Santa Maria (RS), que os seus adversários só ganham as eleições se mudarem o povo. Segundo ele, está faltando pouco para que isso seja dito. Huuummm… Não seria assim uma idéia tão má. É uma pena que […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 23h14 - Publicado em 9 set 2006, 00h57
Depois de ter comparado a oposição aos nazistas na conversa com evangélicos, o Apedeuta afirmou, em comício em Santa Maria (RS), que os seus adversários só ganham as eleições se mudarem o povo. Segundo ele, está faltando pouco para que isso seja dito. Huuummm… Não seria assim uma idéia tão má. É uma pena que não seja possível, hehe. Mas eis aí o Lulinha Paz e Amor que planta aqui e ali que pretende fazer um governo de conciliação nacional. A cada vez que Lula abre a boca, a carta de FHC mais e mais se justifica. Como também se evidencia a covardia de setores de oposição. Lula sataniza um dos primados básicos da democracia: quem se opõe a ele não pensa diferente dele: é contra o povo. E, claro, “nazistas” são os outros. Disse ainda ser uma “pedra no sapato deles”. “Deles” quem, cara pálida? Com certeza não é daqueles que lucram com os juros reais mais altos do mundo, não é mesmo? Em parte, é verdade, esses juros são pagos com a sua ignorância de causa. Qualquer conversa com alguma tecnicalidade dá um beiço no homem. “Pedra no sapato”, aliás, é uma expressão bem interessante. Vamos brincar de etimologia, leitor amigo? Vocês sabiam que a palavra “escrúpulo” deriva da palavra latina “scrupulum” (ou “scripulum” ou, ainda, “scrupulus”)? Sabe o que era? Uma pedra pequena. Era a pedra pequena que entrava na sandália do romano e ficava incomodando. Tio Rei está lembrando das aulas de Latim… Os substantivos abstratos do Latim têm quase sempre uma origem bem material. Por metáfora, o “escrúpulo” é, então, algo que incomoda, um impedimento, um limite. É verdade: a origem de Lula fez com que as oposições o vissem com “scrupulum”, uma pedrinha na sandália. Foi uma bobagem, claro. Já disse que ele toma Black Label desde 1980. Tanto escrúpulo com Lula fez com que ele próprio não tivesse escrúpulo nenhum.
Publicidade