Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Imóvel da mulher de Vaccari está em nome de funcionária da OAS

A força-tarefa da Operação Lava Jato diz que a descoberta sobre a mulher de Vaccari "causou espanto" e suspeita que o imóvel tenha sido usado para lavagem de dinheiro que o ex-tesoureiro teria recebido como suborno da empreiteira. "Esse indício de ocultação de patrimônio (...) reforçou a hipótese de o empreendimento ser utilizado para a lavagem de capitais", escreveram os procuradores

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 30 jul 2020, 23h38 - Publicado em 27 jan 2016, 16h36

Na Folha:
A mulher de João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT que já foi condenado a 15 anos de prisão, declarou em seu Imposto de Renda que é dona de um apartamento no Guarujá (SP) que está registrado em nome de uma funcionária da OAS. O imóvel fica na praia de Astúrias, no mesmo prédio em que a mulher do ex-presidente Lula teve a opção de compra de um triplex que foi construído e reformado pela OAS. No final do ano passado, após a Operação Lava Jato começar a investigar o edifício, dona Marisa desistiu da compra.

A força-tarefa da Operação Lava Jato diz que a descoberta sobre a mulher de Vaccari “causou espanto” e suspeita que o imóvel tenha sido usado para lavagem de dinheiro que o ex-tesoureiro teria recebido como suborno da empreiteira. “Esse indício de ocultação de patrimônio (…) reforçou a hipótese de o empreendimento ser utilizado para a lavagem de capitais”, escreveram os procuradores em peça que foi encaminhada à Justiça e serviu de base para a 22ª fase da Lava Jato.

A mulher de Vaccari, Gilselda Rousie de Lima, declarou à Receita Federal que era dona no apartamento 43A do edifício Navia, que faz parte do condomínio Solaris. No cartório de registro de imóveis do Guarujá, no entanto, o imóvel aparece como sendo de Sueli Falsoni Cavalcanti, funcionária da OAS. Dez apartamentos do edifício seguem em nome da empreiteira e o triplex que seria da família da Lula está registrado em nome de uma empresa criada em Nevada, nos Estados Unidos. Há ainda um apartamento em nome de Freud Godoy, que foi assessor especial de Lula quando ele era presidente.

Uma cunhada de Vaccari também é investigada sob suspeita de ter recebido um imóvel no Guarujá para receber propina da OAS no mesmo condomínio.
(…)

Publicidade