Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Há cinco dias, um líder da Irmandade pediu fim do fornecimento de gás para Israel; nesta manhã, gasoduto sofreu atentado

A imprensa ocidental tem a firme determinação de minimizar o papel da Irmandade Muçulmana na crise egípcia. Seus representantes moderados – gente devidamente preparada para seduzir jornalistas ocidentais – diz que a organização  nada tem a ver com a crise e que só quer democracia,. Entendo. Logo se diz: “Vejam como eles são a solução!” […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 12h55 - Publicado em 5 fev 2011, 16h55

A imprensa ocidental tem a firme determinação de minimizar o papel da Irmandade Muçulmana na crise egípcia. Seus representantes moderados – gente devidamente preparada para seduzir jornalistas ocidentais – diz que a organização  nada tem a ver com a crise e que só quer democracia,. Entendo. Logo se diz: “Vejam como eles são a solução!” Pois é… Há um pouco de tudo nisso: engano, auto-engano e, obviamente e como sempre, pilantragem intelectual. Afinal, se o que acontece no Egito é ruim para os EUA, muita gente considera bom bom  – ao menos para suas fantasias escatológicas.

No dia 31, segunda-feira, publiquei aqui o seguinte post:
Alguns gostam de falar sobre ilusões. Outros preferem fatos. Vamos ver. Mohamed Ghanem, um dos líderes da Irmandade Muçulmana no Egito – ele vivia na Inglaterra até outro dia – concedeu uma entrevista à TV iraniana Al Alam em que convoca o Egito a interromper a venda de gás para Israel. Diz ainda que o país deve preparar o Exército para uma guerra com o vizinho.
Ele acusa na entrevista o governo de Hosni Mubarak de ser apoiado por Israel e diz que a polícia e o Exército não conseguiram brecar as ações da Irmandade Muçulmana.

Que eu saiba, fui o único a publicar essa notícia por aqui. Boa parte das pessioas estava ocupada em tentar provar que o Facebook faz revolução. Sabem o que aconteceu hoje? Uma explosão atingiu uma estação compressora de gás e se espalhou para um dos principais gasodutos da cidade de Arish, na península egípcia do Sinai, a cerca de 70 quilômetros da Faixa de Gaza. Vem a ser o gasoduto que leva o gás para Israel.

Segundo a Rádio Israel, as explosões não afetaram o suprimento de gás, mas ele foi suspenso por media de segurança. O ataque teria atingido apenas a outra tubulação, que segue para a Jordânia.

Moderados!

Continua após a publicidade
Publicidade