Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Governo Dilma quer médicos brasileiros cuidando de Chávez

Por Ana Flor e Flávia Foreque, na Folha: Integrantes do governo brasileiro contataram a equipe médica que tratou a presidente Dilma Rousseff em 2009, quando teve um câncer linfático, para ir a Caracas ajudar no tratamento do presidente Hugo Chávez. A Folha revelou, anteontem, o convite feito pelo Brasil a Chávez para que ele se […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 11h24 - Publicado em 8 jul 2011, 07h43

Por Ana Flor e Flávia Foreque, na Folha:
Integrantes do governo brasileiro contataram a equipe médica que tratou a presidente Dilma Rousseff em 2009, quando teve um câncer linfático, para ir a Caracas ajudar no tratamento do presidente Hugo Chávez. A Folha revelou, anteontem, o convite feito pelo Brasil a Chávez para que ele se tratasse aqui. Ontem, o presidente agradeceu a Dilma e citou a nova proposta. “Obrigada, presidente Dilma. Não consegui falar com ela, Nicolás [Maduro, chanceler]. Quero falar com Dilma”, disse ele, em reunião ministerial transmitida pela TV. “Ela também teve câncer e colocou à disposição a sua experiência e seus médicos.”

O venezuelano anunciou, no último dia 30, em pronunciamento feito em Havana e transmitido pela TV, ter sido operado em Cuba para a retirada de um tumor. O oncologista Paulo Hoff, do hospital Sírio Libanês, confirmou ontem que ele e outros médicos foram procurados e que agora aguardam resposta da Venezuela. Hoff fez parte da equipe que tratou Dilma e foi o principal oncologista que acompanhou o ex-vice-presidente José Alencar, morto em março, depois de mais de uma década lutando contra a doença. O médico não disse quem fez o contato, mas confirmou que foi de parte do governo.

CUSTEIO
A Folha apurou que o ex-presidente Lula sugeriu que médicos que trataram Dilma e Alencar ajudassem no tratamento de Chávez. A oferta não significa que o Brasil arcará com os custos. Segundo assessor do Planalto, a intenção foi colocar à disposição médicos que estão entre os melhores especialistas do país. Aqui

Publicidade