Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Goodfellas – Criador da Rede PT13 e assessor de deputado chefão do PT tenta aplicar golpe na Petrobras e na Caixa. Ele são mesmo bons companheiros!

Vejam estas fotos. Vocês já conhecem as personagens. O engravatado é o deputado federal André Vargas (PT-PR), nada menos do que vice-presidente da Câmara, um petista graúdo, ex-secretário de Comunicação do partido. O outro é André Guimarães, seu assessor. Em março, a VEJA publicou uma  reportagem sobre esses dois patriotas. O título do post que escrevi […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 06h19 - Publicado em 5 Maio 2013, 18h07

Vejam estas fotos.

O deputado André Vargas (PT-PR) e seu cupincha André Guimarães: atividades “rentáveis”

Vocês já conhecem as personagens. O engravatado é o deputado federal André Vargas (PT-PR), nada menos do que vice-presidente da Câmara, um petista graúdo, ex-secretário de Comunicação do partido. O outro é André Guimarães, seu assessor. Em março, a VEJA publicou uma  reportagem sobre esses dois patriotas. O título do post que escrevi a respeito — aqueles títulos-lead que faço aqui de vez em quando (a Internet permite, hehe) — é este: “Petista, que é funcionário de vice-presidente da Câmara, é pago com dinheiro público para alimentar rede de difamação na Internet. E já está vendendo seus serviços”.

Muito bem, reportagem de Hugo Marques na VEJA desta semana tem, mais uma vez, André Guimarães, o amigão de Vargas, no centro de mais uma falcatrua. Reproduzo trecho. Volto em seguida.

*

Continua após a publicidade

Assessor e amigo do deputado André Vargas, ex-secretário de comunicação do PT e vice-presidente da Câmara dos Deputados, o petista André Guimarães é um especialista em difamar adversários do partido na internet. Ele é o criador da Rede PT13, uma organização virtual formada por blogs apócrifos e perfis falsos que se dedica a atacar – com informações mentirosas e montagens fotográficas – aqueles que ousam defender teses contrárias às do petismo. A blogueira Yoani Sánchez, por exemplo, foi alvo desse ciberguerrilheiro quando visitou o Brasil, no início do ano, para discorrer sobre as agruras da população cubana sob a ditadura dos irmãos Castro. Esse trabalho sujo, tão admirado pelos radicais, abriu os cofres oficiais a André Guimarães. Como VEJA revelou em março, ele negociava seu know-how difamatório com prefeitos petistas, em contratos de até 30 000 reais. Os valores são apenas uma parte das rentáveis atividades realizadas pelo assessor. O cupincha do deputado André Vargas também aposta alto e, no último Carnaval, tentou aplicar um golpe de 180 000 reais na Caixa e na Petrobras, estatais comandadas pelo PT.

Voltei
A coisa é bem impressionante. Guimarães arrumou duas entidades que deveriam atuar como laranjas na arrecadação de recursos que, na teoria, seriam repassados a escolas de samba de Londrina. Uma (tudo indica que sabia da safadeza) receberia um repasse de R$ 140 mil da Prefeitura e ficaria com uma parte (a outra iria para o “esquema”); uma segunda entidade, o Instituto Nijmeh (que não sabia estar sendo enrolado), seria a destinatária, no papel, da grana das estatais. Só no papel!

Se vocês lerem a reportagem, constatarão:
– não era grana para escola de samba coisa nenhuma, mas para um esquema fraudulento;
– tudo não passava de um golpe;
– Guimarães chegou a fraudar cartazes do Carnaval para evidenciar um patrocínio que nunca existiu;
– Hussaina Nijmeh acusa Guimarães de ameaçar de morte gente da sua família por ela ter denunciado a fraude.

Apesar das evidências do trambique, Guimarães, o amigão de Vargas, nega tudo.

Cartaz oficial do Carnaval de Londrina (esq.) e cartaz com falso patrocínio da Caixa: golpe de 180 000 reais

Continua após a publicidade
Publicidade