Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

“Esquenta” surpreende e leva muitos milhares às ruas país afora; “Big One” está marcado para o dia 13 de março

Datafolha fala em 40.300 manifestantes na Paulista; consideradas as 100 cidades, protestos quase improvisados podem ter reunido até 100 mil pessoas

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 30 jul 2020, 23h52 - Publicado em 13 dez 2015, 19h27

3af852d00e4f6b4ba5c3099af8316de3

Segundo o Datafolha, São Paulo reuniu 40.300 manifestantes. Acho que foi mais. Mas não vou pôr a minha impressão para disputar com os critérios que o instituto atesta como científicos. Contento-me com os 40 mil de São Paulo. Somadas as 100 cidades que assistiram a manifestações, a coisa deve roçar, então, os 80 mil, 90 mil, 100 mil talvez.

Os esquerdistas, que escolheram São Paulo para o protesto de quarta, e só São Paulo, dizem esperar “50 mil” no que pretendem que seja, como é mesmo?, “a maior manifestação da esquerda contemporânea”. E olhem que a máquina oficial está por trás da mobilização, como se sabe.

Membros do MBL e do Vem Pra Rua se surpreenderam com a presença. Tiveram pouco mais de uma semana para mobilizar as pessoas. Mesmo assim, houve protestos em 22 capitais mais Distrito Federal, além de muitas outras cidades — num total de cem.

Isso indica a capilaridade desses movimentos e sua capacidade de mobilização, que hoje intrigam as esquerdas. Ela tentam entender como é que movimentos que não aparelham a sociedade, que não contam com farto financiamento oficial, que não dispõem de militância paga conseguem ser tão efetivos. As esquerdas ainda não entenderam que a sociedade brasileira se dá conta de que está sendo roubada por um súcia.

Big One
A manifestação de hoje marca a retomada das mobilizações populares em favor do impeachment. O grande ato está com data marcada: 13 de março de 2016. Aí, sim, se o governo quiser — bem como o jornalismo do nariz marrom —, comparações com atos passados farão algum sentido.

A delinquência intelectual oficial pôs para circular a versão de que a suposta menor adesão de hoje se deve a uma reação negativa da população à oposição. É uma estupidez. O ato deste domingo não tem relação nenhuma com a oposição, a exemplo dos anteriores. Foi convocado pelos movimentos.

Outra coisa: num domingo, vai ao protesto quem quer… ia ao protesto! As esquerdas vigaristas costumam marcar manifestações em dia útil porque pretendem contar as vítimas de suas arruaças como manifestantes.

Continua após a publicidade
Publicidade