Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Entrada legal de dólares não implica dinheiro legal

Ser petista, hoje em dia, é jamais ter de sentir vergonha, ainda que não faltem motivos. Não é que a turma está comemorando o fato de que os dólares que pagariam o dossiê fajuto dos tucanos entraram no Brasil de forma legal? Segundo a Polícia Federal, o FBI já sabe que os US$ 248 mil […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 23h10 - Publicado em 26 set 2006, 23h13
Ser petista, hoje em dia, é jamais ter de sentir vergonha, ainda que não faltem motivos. Não é que a turma está comemorando o fato de que os dólares que pagariam o dossiê fajuto dos tucanos entraram no Brasil de forma legal? Segundo a Polícia Federal, o FBI já sabe que os US$ 248 mil foram transferidos por um Banco de Miami para outro de São Paulo. Seria uma instituição de pequeno porte sem vínculos com o Safra, BankBoston e Bradesco, de onde saíram os reais. Ok, qualquer banco que tenha casa de câmbio pode trazer dólares para o Brasil, desde que seja tudo devidamente registrado. O problema não está aí. De quem é o dinheiro? A questão nem é como entrou, mas como saiu. A quem pertencia? Numa investigação isenta, as coisas estariam mais complicadas para o PT. A suspeita é que se trate mesmo de caixa dois de campanha. Em moeda estrangeira? Depositado no exterior? Aliás, a eficiência do FBI é de fazer corar a polícia brasileira. Você passa o número de série para os homens e pimba! Já se sabe tudo. No caso do Bananão, reparem, o Coaf afirma que vai demorar muuiito tempo. Como vemos, Márcio Thomaz Bastos não quer “tumultuar” o processo eleitoral.
Publicidade