Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

E o Granma.cu, porta-voz de uma ditadura que responde por pelo menos 100 mil mortos, exalta a Comissão da Verdade no Brasil!

Ontem, o deputado estadual Rui Falcão (PT-SP), presidente nacional do PT, compareceu ao horário político do partido e, acreditem!, defendeu a liberdade de expressão (comento posts abaixo). É o mesmo Falcão que anunciou não faz tempo que o governo precisa domar a “mídia” depois de dar um tranco nos bancos… Esses esquerdistas não surpreendem, convenham. […]

Ontem, o deputado estadual Rui Falcão (PT-SP), presidente nacional do PT, compareceu ao horário político do partido e, acreditem!, defendeu a liberdade de expressão (comento posts abaixo). É o mesmo Falcão que anunciou não faz tempo que o governo precisa domar a “mídia” depois de dar um tranco nos bancos… Esses esquerdistas não surpreendem, convenham. Os petistas têm um modelo de imprensa na cabeça: o Granma.cu!, a versão online do jornal do Partido Comunista Cubano.

Como cinismo pouco é bobagem, o Granma, órgão oficial do Partido Comunista Cubano, publicou ontem um texto saudando a criação da Comissão da Verdade no Brasil. Aproveitou para lembrar o passado “guerrilheiro” da presidente Dilma Rousseff.

Boa parte dos cubanos, dada a carência de papel higiênico no país, usa a versão impressa do jornal para os chamados serviços de higiene. Eu não estou brincando, não! Isso não é uma tentativa de piada. É um fato mesmo. A versão eletrônica não serve nem pra isso.

No último parágrafo, lemos:
“A Comissão da Verdade criada no Brasil é fundamental para que as novas gerações conheçam seu passado recente, quando muitas pessoas foram presas, torturadas e assassinadas”.

Pois é… A ditadura no Brasil começou em 1964 e terminou, oficialmente, em 1985, embora  já estivesse combalida desde muito antes; afinal, a Lei da Anistia é de 1979. A ditadura comunista cubana teve início em 1959 e não acabou. O regime continua a encarcerar os dissidentes, e presos políticos ainda morrem na cadeia. Cuba tem uma população que é pouco superior à vigésima parte da do Brasil. A ditadura castrista responde pela morte de 100 mil pessoas — 17 mil foram fuziladas; as demais morreram afogadas tentando deixar a ilha. O mar que separa Cuba da Flórida é um cemitério. Só para que se comparem as brutalidades: os mortos oficiais da ditadura militar brasileira são 424. Não obstante, os petistas se negam a condenar aquela tirania — na verdade, nem mesmo reconhecem o regime como ditatorial.

Com essa performance, os comunistas de Cuba saúdam a Comissão da Verdade no Brasil.

Texto publicado originalmente às 3h30

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s