Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

E o Babalorixá de Banânia volta a atacar a imprensa

Lula discursou pelos cotovelos na festa dos 31 anos do PT. E tentou deixar claro quem é o chefe. Explicou por que não está com inveja de Dilma. Na madrugada, prometo uma análise mais acurada dessa relação. Para variar, quem mais apanhou foi a imprensa. * Centro das atenções no 31º aniversário do PT, o […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 12h52 - Publicado em 10 fev 2011, 22h18

Lula discursou pelos cotovelos na festa dos 31 anos do PT. E tentou deixar claro quem é o chefe. Explicou por que não está com inveja de Dilma. Na madrugada, prometo uma análise mais acurada dessa relação. Para variar, quem mais apanhou foi a imprensa.

*
Centro das atenções no 31º aniversário do PT, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reassumiu nesta quinta-feira (10) o posto simbólico de presidente de honra do partido e recebeu uma série de homenagens em Brasília. Ao fazer uma crítica à imprensa, Lula disse que os boatos de que ele estaria com ciúmes da presidente Dilma Rousseff eram obra da gente “metida a formadores de opinião”.

“Essa gente metida a ser formadores de opinião não entende nada de psicologia. Sou governo tanto quanto qualquer companheiro que está no governo. O sucesso da Dilma é o meu sucesso. O fracasso da Dilma é o meu fracasso”, discursou Lula.

Com o bom humor característico, Lula começou o discurso brincando com os sentimentos dele nos primeiros dias fora da Presidência. “Estou aqui 40 dias depois de ter deixado a Presidência e brinco todo dia dizendo que os primeiros dias de ex-presidente, você fica como cão que caiu da mudança. Você fica sem saber o que fazer, sem saber para onde vai”, disse Lula, arrancando gargalhadas dos convidados.

A comemoração do aniversário do PT foi realizada no modesto Teatro do Sindicato dos Bancários, na capital federal, que tem capacidade para 400 convidados, em virtude da política de contenção de gastos do partido, que saiu das eleições de outubro de 2010 com uma dívida de cerca de R$ 27 milhões.

Como primeiro ato da cerimônia que começou 18h50, ex-presidentes do partido foram convidados a subir ao palco para compor a mesa ao lado do atual presidente, José Eduardo Dutra. O ex-ministro José Dirceu foi o mais aplaudido pelos petistas. Governadores petistas como o gaúcho Tarso Genro também foram festejados pelos convidados.

Momento de emoção no ato político, Dutra pediu aos companheiros uma salva de palmas para o ex-vice-presidente José Alencar, tratado como um dos petistas e aplaudido de pé pelo auditório.

Ao lado da ex-primeira dama Marisa Letícia, Lula, com a tradicional camisa social vermelha, subiu ao palco do evento 18h58 sob o coro dos convidados: “Olê, olê, olé, olá, Lula, Lula.”

Ato político
Bastante concorrida entre partidários e admiradores de Lula, a cerimônia conta com a presença dos 17 ministros petistas, além de deputados, senadores, governadores e lideranças históricas da sigla. Uma mesa com 13 cadeiras foi posicionada no palco do teatro para receber as figuras mais ilustres.

A segurança do local foi reforçada por agentes que fazem a segurança da presidente Dilma Rousseff, que deve comparecer para homenagear Lula. Um telão foi posicionado do lado de fora do teatro para que os curiosos pudessem acompanhar a cerimônia. Uma forte chuva caiu em Brasília e atrapalhou a chegada dos militantes para a festa petista.

Trabalho
Lula marca simbolicamente nesta quinta a retomada de suas atividades como militante e conselheiro do PT, função pela qual será remunerado em cerca de R$ 13 mil.

Continua após a publicidade

O ex-presidente petista chegou a Brasília por volta de 16h30 desta quarta-feira (9). Ele viajou de São Paulo para a capital federal em um voo comercial da Gol, depois de oito anos de viagens a bordo de aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB).

Depois de passar pelo hotel, o ex-presidente voltou ao Palácio da Alvorada como convidado da presidente Dilma. No jantar, entre garfadas de camarão, Lula divertiu-se com as histórias de sua primeira viagem em voo comercial, relembrou o assédio dos passageiros que estavam no voo e falou de temas relacionados ao governo, como o salário mínimo e o corte de gastos no orçamento.

Inveja e ódio
Lula disse que o PT é um partido odiado e invejado por ter feito operário virar estudante e virar presidente da República: “O PT fez operário virar estudante, fez operário virar presidente da República, virar presidente da Câmara, virar deputado, virar senador. É por isso que despertamos inveja, é por isso que despertamos ódio.”

Ao repassar as realizações dos seus oito anos de governo, Lula disse sentir alegria ao ver “um pobre pegar andar de avião”. “Vocês não sabem o prazer que eu sinto em ver pobre andando de avião. Ele não sabe nem encontrar a poltrona pra sentar, mas ele está lá.”

Lula também brincou afirmando que as ruas brasileiras, depois do seu governo, estão cheias de carros novos: “Antigamente, o congestionamento era de brasília quebrada. Agora, é de carro novo.”

Para o ex-presidente, “nunca antes na história desse país, só depois do governo da Dilma, alguém tenha feito o que nós fizemos nesse país”.

Aposentadoria
Lula mandou um recado para os adversários dizendo que espera viver até os 105 anos e que irá continuar fazendo política: “Estou disposto a viajar esse país. Se algum adversário meu acha que eu deixei a presidência e o Lula está aposentado. Escafedeu-se. Aqui não tem aposentadoria da política. Se tiver uma boa causa, terá um bom soldado na rua para lutar. Vou continuar viajando o país, vou continuar brigando com a Marisa pela minha agenda.”

O ex-presidente disse que irá construir o memorial das lutas sociais do Brasil. “Pretendo construir o memorial das lutas sociais no país, para que a gente possa contar a historia desse país como ela foi feita e não como a elite contou pra gente a vida inteira”, disse Lula.

Carinho
O presidente afirmou que nunca teve medo do povo e afirmou que era o brasileiro mais orgulhoso do país: “Eu peguei um avião ontem, e ser tratado com o carinho que fui tratado, só isso valeu a pena. Não sei quantos presidentes teriam a coragem de entrar em um avião depois de apenas 40 dias. Um político que tem medo do povo não deveria ser político.”

CUT
O presidente voltou a falar das centrais sindicais e da polêmica envolvendo o novo salário mínimo. Lula afirmou que “cumprir acordo é muito melhor” do que pressionar o governo para mudar o acordo de reajuste do mínimo. “Eu aprendi que quando a gente faz um acordo, se a gente cumprir é muito melhor, porque a gente ganha confiança”, disse.

Lula, no entanto, afirmou que iria para a rua apoiar a luta das centrais, se fosse preciso: “Eu digo essas coisas, mas amanhã a gente tá na rua com a CUT se ela pedir. Agora, vamos brigar pelo salário máximo e vamos deixar o mínimo dentro da lei.”

Alencar
Ao final do discurso de 37 minutos, Lula lembrou o ex-vice-presidente da República José Alencar, que está na UTI do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo: “Não sei em que momento da história alguém teve um vice como eu tive. Amanhã vou passar lá para ver ele outra vez e acho que quem puder tem que visitar o Alencar.”

Dilma
A cerimônia de 31 anos do PT terminou com a chegada da presidente Dilma Rousseff, que foi anunciada no palco por volta de 19h50. Dilma chegou, abraçou Lula e dona Marisa, cumprimentou os presentes e cortou o bolo simbólico. Ao final, todos cantaram parabéns para o PT.

Continua após a publicidade
Publicidade