Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Dilma tomou o Guimarães Rosa de Serra

Ai, ai… A presidente Dilma Rousseff fez duas citações em seu discurso no Congresso: -“O que tem de ser tem muita força” – “O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”. Segundo ela, são […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 13h15 - Publicado em 3 jan 2011, 04h39

Ai, ai…

A presidente Dilma Rousseff fez duas citações em seu discurso no Congresso:
-“O que tem de ser tem muita força”
– “O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem”.

Segundo ela, são de autoria de um “poeta de sua terra”. Huuummm… O “poeta”, no caso, era, na verdade, um prosador: o mineiro Guimarães Rosa, que escreveu um único – e péssimo! – livro de poesia. A afirmação serve, no entanto, para evidenciar que, com efeito, Minas nem precisa esperar uma eventual eleição de Aécio Neves para chegar à Presidência, não é?  “Minha terra” já chegou lá!

Os dois trechos  não pertencem a poema nenhum, mas ao romance “Grande Sertão: Veredas”, de que muitos críticos gostam demais da conta, sô!!! Este escriba considera que o autor era mestre em fazer o simples parecer complexo com o objetivo de exaltar a suposta complexidade da simplicidade, de sorte que um matuto pudesse valer por um Goethe ou por um Schopenhauer… Mas essa briga é antiga, hehe.

A Dilma candidata andou dando umas tungadas nas propostas de José Serra durante a campanha eleitoral. No discurso de posse, tomou-lhe o Rosa. No dia 10 de abril do ano passado, no discurso em que assumiu a candidatura à Presidência pelo PSDB, o tucano citou justamente aquele trecho sobre a coragem.

Continua após a publicidade

Publicidade