Clique e assine com 88% de desconto
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Conforme o previsto, cotas já venceram; branco, pobre, heterossexual e cristão passa a ser o verdadeiro negro do Brasil

Já votaram pela improcedência da ação contra as cotas os ministros Ricardo Lewandowski, Luiz Fux, Rosa Weber e Carmen Lúcia. A opinião pró-cotas de Ayres Britto, Joaquim Barbosa e Celso de Mello é conhecida. Só aí se contam sete votos. O caso está decidido, conforme o previsto. Pior do que o mérito, que joga no […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 18 fev 2017, 16h30 - Publicado em 26 abr 2012, 18h07

Já votaram pela improcedência da ação contra as cotas os ministros Ricardo Lewandowski, Luiz Fux, Rosa Weber e Carmen Lúcia. A opinião pró-cotas de Ayres Britto, Joaquim Barbosa e Celso de Mello é conhecida. Só aí se contam sete votos. O caso está decidido, conforme o previsto. Pior do que o mérito, que joga no lixo o Artigo 5º da Constituição e faz de brancos pobres sócios do regime escravocrata que vigorou no Brasil — obrigando-os a pagar com a própria pele (!) por aquele processo histórico — são os argumentos. Todos eles atribuem ao tribunal — ou a seus membros —, a competência de fazer justiça com a própria toga.

As cotas para negros nas universidades públicas já estão oficializadas. Agora resta às demais minorias, com base naqueles mesmos argumentos que sustentam que se possam suprimir direitos de uns para conceder privilégios a outros “em nome da igualdade e da dignidade humana”, reivindicar o seu quinhão.

Eu me sinto, vamos dizer, intelectualmente recompensado porque antevi isso há muitos anos, não? É minha a frase segundo a qual o branco, pobre, heterossexual e cristão passaria a ser o verdadeiro negro do Brasil. Ninguém é por ele, e todos são contra ele. É um sem-ONG, um sem-razão, um sem-direito. Está proibido até mesmo de reivindicar. Caso se mobilize, os bem-pensantes, inclusive os da imprensa, apontarão o dedo: “Fascista!”

Publicidade