Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Cinismo

“Eles estão fazendo o papel deles, o [mesmo] que eu fazia quando não era governo. Eu fui no Congresso pedir para barrar a [criação] CPMF”. É Lula na Espanha falando sobre a contribuição. Trata-se de mais uma variação da Teoria da Bravata, que este gigante moral lançou logo nos primeiros meses de governo, lembram-se? O […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 20h24 - Publicado em 16 set 2007, 21h13
“Eles estão fazendo o papel deles, o [mesmo] que eu fazia quando não era governo. Eu fui no Congresso pedir para barrar a [criação] CPMF”.

É Lula na Espanha falando sobre a contribuição. Trata-se de mais uma variação da Teoria da Bravata, que este gigante moral lançou logo nos primeiros meses de governo, lembram-se?

O que mais me encanta em sua fala é que ele não reconhece “um erro”. Poderia dizer: “Eu já errei também; já fui contra a CPMF. Depois, no governo…” Mas não. Ele acha que a vida é assim: papel de governo é tentar fazer “A”, e o da oposição é dizer que é “B”.

Aí o petista que mata tudo de canela pode indagar: “Ué, mas o PSDB e o DEM não votam contra tudo o que Lula propõe?” A resposta: “NÃÃÃOOO!!!”. Nas reformas, por exemplo, as duas legendas foram coerentes, na sua larga maioria, com o que defendiam quando eram base de apoio do governo FHC. Não mudaram de opinião. O PT mudou.

O que está implícito na fala deste valente? Se o próximo presidente da República for alguém hoje da oposição, Lula, segundo seu particular entendimento da coerência, será contra a CPMF e o que quer que tenha defendido quando governo. Afinal, ele estará do outro lado.

Continua após a publicidade

Publicidade