Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Cenário eleitoral para Alckmin é bem mais tranquilo do que para Dilma: ele cai, mas vence no 1º turno

É… De tal sorte saiu pela culatra a tentativa de promover o baguncismo em São Paulo que, mesmo na disputa eleitoral, o cenário para o governador Geraldo Alckmin é bem mais tranquilo do que o da presidente Dilma Rousseff no Brasil. Sim, o tucano também caiu nos índices de intenção de voto, mas ninguém — […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 17 fev 2017, 11h09 - Publicado em 1 jul 2013, 06h59

É… De tal sorte saiu pela culatra a tentativa de promover o baguncismo em São Paulo que, mesmo na disputa eleitoral, o cenário para o governador Geraldo Alckmin é bem mais tranquilo do que o da presidente Dilma Rousseff no Brasil.

Sim, o tucano também caiu nos índices de intenção de voto, mas ninguém — especialmente petistas — se deu bem. Mesmo Paulo Sakaf (PMDB), que se pretende uma via alternativa e poderia ter avançado na crise, oscilou pouco. No cenário considerado mais provável, Alckmin aparece com 40% dos votos e se elegeria no primeiro turno. Há três semanas, é verdade, tinha 52%. Mas vamos ver o que aconteceu com seus potenciais concorrentes: Skaf ganhou três, passando de 16% para 19%. Gilberto Kassab (PSD) cai de 9% para 6%. O petista Alexandre Padilha oscila de 3% para 4%. Se Aloizio Mercadante entra no lugar de Padilha, obtém 11% — há três semanas, tinha 10%. José Eduardo Cardozo obteve os mesmos 5%.

Numa eventual disputa com Lula, Alckmin obteria 34%, contra 22% do ex-presidente, que tem quatro pontos a menos do que na pesquisa anterior. Isso significa que a voragem também colheu o Apedeuta. Nesse caso, haveria segundo turno, mas será que o Babalorixá se arriscaria a perder uma eleição em São Paulo?

Publicidade