Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Candidato do DF, de quem nunca ouvi falar, usa indevidamente o meu nome para defender proposta energúmena!

Um certo Matheus Sathler, candidato a deputado federal pelo PSDB do Distrito Federal, propõe a criação do “Kit Macho” e do “Kit Fêmea” para distribuir nas escolas. Seria uma forma, segundo entendi, de combater o Kit Gay. Ele concede uma entrevista ao UOL, que me foi enviada por leitores. Num dado momento, diz: “Minha relação […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 03h13 - Publicado em 25 ago 2014, 16h26

Um certo Matheus Sathler, candidato a deputado federal pelo PSDB do Distrito Federal, propõe a criação do “Kit Macho” e do “Kit Fêmea” para distribuir nas escolas. Seria uma forma, segundo entendi, de combater o Kit Gay. Ele concede uma entrevista ao UOL, que me foi enviada por leitores. Num dado momento, diz:

“Minha relação é muito boa com o Pastor Silas Malafaia, com o deputado Pastor Marcos Feliciano (PSC-SP) e com o Padre Paulo Ricardo (da ala conservadora da Igreja Católica). Também têm entrado em contato comigo o Reinaldo Azevedo e o Rodrigo Constantino (ambos colunistas e blogueiros da revista Veja). Nós, os liberais-conservadores, temos nos articulado, sim.”

Como é que é?

EU TENHO ENTRADO EM CONTATO COM ELE??? MENTIRA!!!

Nunca vi esse cara mais gordo ou mais magro, jamais falei com ele e não tenho interesse em falar. De resto, políticos podem até tentar entrar em contato comigo, mas eu não tento entrar em contato com eles, a não ser que esteja em busca de alguma informação.

Nunca falei com o sr. Sathler nem quero. Acho a sua proposta energúmena. Eu sou contra a distribuição de kits de qualquer natureza. Se e quando eu decidir declarar voto ou recomendar voto, procurem a informação aqui. O que não estiver em meu blog é mentira. De resto, não emprego “macho” e “fêmea” para me referir à sexualidade humana ou às diferenças de gênero quando se trata de pessoas. 

Eu espero que ele tenha a hombridade de ligar para o UOL para dizer que nós jamais conversamos. Recomendo adicionalmente que não envolva meu nome em sua pantomima.

Continua após a publicidade
Publicidade