Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Cabo Anselmo na TV em tempos em que militantes do PCdoB não fazem guerrilha, mas assaltam a lancheira das crianças

Perguntam-me se assisti ontem à entrevista de Cabo Anselmo no Roda Viva. Mais ou menos; o bastante para saber que ele se mostrou disposto a colaborar com a Comissão da Verdade se convidado, desde que ela não seja um tribunal de um lado só. Então não vai colaborar, hehe, porque será um tribunal, moral ao […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 10h28 - Publicado em 18 out 2011, 05h03

Perguntam-me se assisti ontem à entrevista de Cabo Anselmo no Roda Viva. Mais ou menos; o bastante para saber que ele se mostrou disposto a colaborar com a Comissão da Verdade se convidado, desde que ela não seja um tribunal de um lado só. Então não vai colaborar, hehe, porque será um tribunal, moral ao menos, esquerdista. Também afirmou que agentes que atuaram na repressão aos movimentos de esquerda ainda estão na ativa e que muitos sindicalistas colaboraram com o governo militar. Segundo disse, só começou as suas atividades de agente na década de 70. Negava, assim, a tese conspiratória de que a revolta dos marinheiros já era parte do plano golpista. Não vi tudo. Não sei se lhe perguntaram se algum atual esquerdista de ilibada reputação colaborou mais do que sabemos…

O que fazia Cabo Anselmo ali? De algum modo, servia às teses do suposto martírio esquerdista. Diante dos jornalistas e da indignação unânime, quase sempre contida, estava o delator-símbolo, o elogio da traição! Um telespectador chegou a associá-lo a Calabar. Nas vezes em que houve certa tentativa de ofensa moral por ele ter sido quem foi e ser quem é — não se disse arrependido —, a tensão dramática se desfez porque, para que ele se indignasse, seria preciso que operasse com os mesmos valores daqueles que o entrevistavam. E ele não opera.

Cabo Anselmo agora pra quê? Sei lá eu! O que sei é que a entrevista, certamente agendada há tempos, se deu num momento interessante e funcionou, à revelia das intenções, como um contraponto irônico ao noticiário dos últimos dias. Um dos temas de que irá se ocupar a Comissão da Verdade é a Guerrilha do Araguaia, promovida pelo PCdoB. Enquanto falava o suposto verdugo daquelas supostas doces ilusões revolucionárias, pensava cá comigo que o PCdoB está agora ocupado em explicar por que os lanchinhos servidos pelas ONGs que recebem a grana do Ministério do Esporte são tão caros! Militantes do partido que tentou fazer a revolução camponesa no Brasil estão assaltando lancheira de infantes.

Terminada a entrevista com Cabo Anselmo, tratado como o horrível inimigo dos humanistas comunistas, a TV Cultura levou ao ar uma entrevista de Gorbachev, o sujeito que deu fim à União Soviética, ao terror comunista e à herança de Stálin — aquele mesmo Stálin que continua a ser um herói na história contada pelo PCdoB.

Ainda bem que o Brasil não depende da certa “intelligentsia” para progredir. Avança apesar dela. Como sempre. Registrem aí: sempre que se tenta construir um passado heróico para as esquerdas brasileiras, indiretamente se está justificando algumas de suas safadezas presentes.

Publicidade